Euro cai com comentários de autoridade alemã sobre Grécia

O euro devolve os ganhos registrados mais cedo, refletindo a decepção dos investidores com os comentários feitos por uma autoridade alemã, de que a Grécia tem a responsabilidade de lidar com sua dívida. O mercado de câmbio opera fortemente influenciado pela expectativa de uma ajuda dos países europeus à Grécia, liderada pela Alemanha. O jornal Le Monde disse que os ministros de finanças da zona do euro vão discutir um plano de socorro para a Grécia em teleconferência, que começaria às 12h (de Brasília).

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

10 de fevereiro de 2010 | 12h01

 

A autoridade alemã confirmou a conferência telefônica, mas disse que não se espera que resulte em uma decisão para a crise da Grécia. A autoridade alemã disse ainda que ninguém sugeriu a reestruturação da dívida grega. Citando uma autoridade europeia, o Le Monde informou que uma das opções ao plano de ajuda europeu seria por meio de acordos bilaterais entre Atenhas e outros países da zona do euro.

 

Às 11h24 (de Brasília), o euro caía para US$ 1,3760, de US$ 1,3779 no fechamento de ontem em Nova York. Na máxima, a moeda europeia operou a US$ 1,3815 na máxima.

 

No começo do dia, o ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, e legisladores do país reuniram-se para discutir sobre um possível suporte à Grécia, mas nenhuma decisão foi tomada.

 

"Nenhuma decisão com relação a uma ajuda foi tomada. Estamos trabalhando na elaboração de mais medidas de reestruturação com a Grécia em preparação para a cúpula da União Europeia, em um movimento para acalmar os mercados", afirmou Michael Offer, porta-voz do ministério, reiterando comentários que havia feito ontem. "Todo o resto é especulação", acrescentou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
eurogrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.