Euro cede abaixo de US$ 1,33 com alerta de Trichet sobre Grécia

Moeda caiu a nova mínima em 10 meses ante o dólar após declarações de presidente do FMI

Regina Cardeal, da Agência Estado,

25 de março de 2010 | 18h22

O euro caiu a uma nova mínima em dez meses em relação ao dólar nesta quinta-feira, 25, depois que o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, alertou que uma ajuda do Fundo Monetário Internacional (FMI) à Grécia sem a participação da zona do euro seria muito ruim.

 

O euro recuou abaixo do nível psicologicamente importante de US$ 1,33, enquanto o dólar renovou a máxima em dez meses frente a uma cesta de moedas concorrentes. A movimentação do euro põe em destaque a vulnerabilidade da moeda à crise da dívida soberana europeia em meio à falta de uma solução clara para a Grécia. Ao mesmo tempo, o apelo do dólar vem sendo realçado pelo aumento nos juros dos Treasuries e pelos novos sinais de recuperação estável da economia dos EUA.

 

As declarações das autoridades europeias vão desde indicar que um acordo sobre a Grécia é possível até que não há nada em discussão, disse Michael Woolfolk, estrategista de câmbio do BNY Mellon, em Nova York. Por causa da incerteza - num momento a ajuda à Grécia parece certa, no outro, não - "o dólar é provavelmente a melhor moeda para se deter agora", acrescentou Woolfolk.

 

O índice ICE do dólar, que monitora a moeda em relação a uma cesta de moedas, estava em 82,169, de 81,913.

 

O alerta de Trichet contra o envolvimento do FMI num plano de socorro à Grécia se sobrepôs aos informes de um acordo franco-alemão que, segundo um representante do governo da Alemanha, envolveria um contribuição "substancial" do FMI e créditos bilaterais dos países europeus à Grécia. A cúpula durante a qual os líderes europeus devem discutir um plano para a Grécia começou hoje e termina amanhã em Bruxelas.

 

No fim da tarde em Nova York, o euro estava em US$ 1,3282, de US$ 1,3324 ontem. O dólar era negociado em 92,70 ienes, de 92,14 ienes ontem. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
euroGréciaTrichetFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.