Euro é sustentado por bolsas e ausência de novidades sobre Grécia

Moeda segue acima de US$ 1,42, com investidores buscando recuperar o otimismo abalado nos últimos dias pelas discussões sobre a dívida do governo grego

Cynthia Decloedt, da Agência Estadi,

18 de maio de 2011 | 09h10

 O euro opera acima de US$ 1,42, com investidores buscando recuperar o otimismo abalado nos últimos dias pelas discussões sobre a dívida da Grécia. O fato de as reuniões de segunda-feira e ontem dos ministros de finanças da zona do euro e da União Europeia, respectivamente, não terem resultado em nenhuma solução concreta para a potencial inadimplência da Grécia trouxe alívio ao mercado.

A alta das bolsas globais também favorece as compras do euro, diante da percepção de que o apetite para os ativos de risco está presente. O dólar, por sua vez, perde com a queda do juro do note de 10 anos, que renovou a mínima para o ano ontem após os números sobre a produção industrial e gastos com construção nos EUA.

Às 9h13 (de Brasília), o euro era negociado a US$ 1,4212, de US$ 1,4235 no fim da tarde de ontem em Nova York; o dólar operava em alta a 81,13 ienes, de 81,43 ienes ontem.

Estrategistas observam que a crise grega não saiu do radar dos investidores em euros, uma vez que o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, reiterou hoje a necessidade da participação dos investidores privados nos problemas com a dívida da Grécia. "A Grécia tem uma montanha de dívida, a qual não pode ser controlada a partir de um acordo próprio. A menos que a dívida seja reduzida, a crise com a dívida grega continuará exercendo pressão na moeda europeia", disseram analistas do Commerzbank.

Entre outras moedas, a libra esterlina reagiu em alta após a divulgação da taxa de desemprego e da ata do Banco da Inglaterra, que não cumpriram as especulações negativas que as antecederam, de ampliação do desemprego e de um tom brando na ata em relação à inflação. No mesmo horário acima, a libra valia US$ 1,6147, abaixo de US$ 1,6250 ontem. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.