Euro reduz alta refletindo instabilidade da bolsas

Dólar recuperava-se das mínimas, com investidores migrando para ativos de menor risco

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

23 de fevereiro de 2010 | 09h18

O euro devolve os ganhos iniciais, refletindo a instabilidade das bolsas, que passaram a cair, provocando certa aversão ao risco. Na madrugada e no começo do dia europeu, o euro operou sustentado em comparação ao nível do final da tarde de ontem em Nova York, com especulações, não confirmadas, de que o governo de Dubai oferecerá uma ajuda de US$ 5 bilhões ao conglomerado Dubai World. A divulgação de queda no índice Ifo de sentimento do empresariado alemão em fevereiro também ajudou a retirar a moeda europeia das máximas.

 

O dólar, por sua vez, recuperava-se das mínimas, com investidores migrando para ativos de menor risco diante da incerteza nas bolsas. A moeda norte-americana opera, entretanto, levemente pressionada pelos comentários feitos ontem pela presidente do Fed de São Francisco. Janet Yellen sugeriu que, no atual estágio da economia, a possibilidade de elevação da taxa dos Federal Funds é remota.

 

Às 8h07 (de Brasília), o euro valia US$ 1,3601, acima de US$ 1,3597 no fim da tarde de ontem, mas abaixo da máxima atingida nas operações mais cedo a US$ 1,3693. O dólar caía para 91,03 ienes, de 91,13 ienes ontem. Na mínima, operou em 90,84 ienes.

 

O euro foi sustentado também por suspeitas de intervenção no mercado pelo Banco da Suíça, que tem atuado para conter a apreciação do franco. O BC suíço não confirmou o exercício, mas o euro foi subiu forte contra a moeda suíça.

 

O índice Ifo de ambiente para os negócios na Alemanha caiu pela primeira vez em onze meses, para 95,2, de 95,8 em janeiro, abaixo da previsão dos analistas de 96,4. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
euroDubai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.