Euro renova máxima em 3 semanas em relação ao dólar

Embora o mercado acredite que o Banco Central Europeu manterá a taxa de juros, preocupações sobre o avanço da inflação devem dominar a entrevista coletiva da instituição, após a divulgação da decisão

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

28 de fevereiro de 2011 | 10h31

O euro atingiu uma nova máxima em três semanas em relação ao dólar, apesar da persistente turbulência no Oriente Médio, impulsionado pela postura incrivelmente conservadora adotada pelos membros do Banco Central Europeu (BCE), que se preparam para a reunião de política monetária na próxima quinta-feira.

 

Embora o mercado acredite que o BCE manterá a taxa de juros inalterada, preocupações sobre o aumento das pressões inflacionárias deverão dominar a coletiva de imprensa que será concedida após a divulgação da decisão.

No fim de semana, o presidente do Banco da Itália (banco central do país), Mario Draghi, destacou que a política monetária da zona do euro deverá ser apertada. Draghi é o principal candidato para substituir Jean-Claude Trichet, que deixará o comando do BCE em outubro.

Além disso, dados da Comissão de Comércio de Futuros de Commodities (CFTC, em inglês) mostraram que as compras especulativas de euro atingiram o maior patamar em 18 semanas na semana encerrada na última terça-feira.

Mas alguns problemas emergiram para o euro. O novo governo formado após as eleições da Irlanda deverá tentar renegociar os termos do pacote de socorro financeiro recebido pelo país da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI), o que deverá trazer a crise da dívida soberana de volta ao topo da agenda.

O euro mostrou pouca reação à divulgação do índice de preços ao consumidor da zona do euro, que embora tenha alcançado seu mais alto patamar desde 2008 em janeiro, com alta de 2,3%, em bases anuais, recuou 0,7%, em relação ao mês anterior, acima da queda de 0,6% esperada pelos economistas.

As tensões no Oriente Médio estão beneficiando moedas, consideradas um porto seguro, particularmente o franco suíço e o iene.

A coroa sueca teve valorização acentuada depois da divulgação da ata da reunião de política monetária do banco central da Suécia, realizada no dia 14 de fevereiro.

Às 10h38 (de Brasília), o dólar era cotado em 81,82 ienes, de 81,65 ienes no fim da tarde de sexta-feira. O euro operava em US$ 1,3841, de US$ 1,3754, e em 113,29 ienes, de 112,30 ienes. A libra era cotada em US$ 1,6222, de US$ US$ 1,6113 na sexta-feira. Em relação ao franco suíço, o dólar era cotado em 0,9282 franco suíço, de 0,9287 franco suíço. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.