Euro retoma alta ante dólar

Mercado é guiado pelas expectativas com a votação parlamentar sobre importantes medidas de ajustes fiscais no país, que deve acontecer na próxima semana

Danielle Chaves, da Agência Estado,

22 de junho de 2011 | 08h28

Os mercados de câmbio respiraram com alívio depois que o Parlamento da Grécia aprovou uma moção de confiança no primeiro-ministro George Papandreou na noite de ontem. No entanto, agora o euro segue guiado pelas expectativas com a votação parlamentar sobre importantes medidas de austeridade no país, que deve acontecer na próxima semana.

Os membros do Parlamento grego precisam aprovar duras medidas no valor de cerca de 28 bilhões de euros para que o governo possa receber uma parcela de 12 bilhões de euros do empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia. A aprovação precisa acontecer até o dia 30 de junho, antes da reunião de ministros de Finanças da zona do euro marcada para 3 de julho.

Muita coisa pode acontecer então. O euro chegou a subir para US$ 1,4435 depois do voto do parlamento ontem, a máxima em uma semana, mas depois disso perdeu força e passou a ceder abaixo de US$ 1,44. Às 9h12 (de Brasília), no entanto, a moeda, tinha alta e era negociada a US$ 1,440. A valorização era menor ante o registrado no fim da tarde de ontem (US$ 1,4408), antes do resultado da votação do Parlamento grego.

Enquanto alguns acreditam que o aumento dos protestos em Atenas é um motivo para duvidar da disposição dos parlamentares gregos em aprovar as medidas de austeridade, ainda existe uma ampla crença no mercado de que o governo vai vencer essa batalha.

"A faixa de US$ 1,40 a US$ 1,50 para o euro vai se manter e nós estamos no meio dela agora. Eu estou quase certo de que a Grécia terá o que quer. O euro só cairá se o problema piorar a ponto de a sobrevivência da moeda ficar sob risco. Eu não vejo isso acontecendo", afirmou Steven Barrow, estrategista do Standard Bank.

No entanto, não se pode negar que no estágio atual o euro está tendo dificuldades para manter os ganhos. Aparentemente as incertezas simplesmente se transferiram para outro ponto, a votação sobre as medidas de austeridade, comentou um operador. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.