Euro sobe após aprovação pacote de ajuda alemã

Às 11h05, o euro estava em US$ 1,2582, de US$ 1,2480 no fim da tarde de ontem

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

21 de maio de 2010 | 11h09

O euro ampliou seus ganhos, com os investidores que apostaram pesadamente contra a

moeda cobrindo suas posições, mesmo com os problemas das dívidas soberanas na zona do euro ameaçando arrastar a divisa mais para baixo. A aprovação pelo parlamento da Alemanha da contribuição do país para o pacote de ajuda financeira para a União Europeia de € 750 bilhões também forneceu algum suporte para o euro.

 

Os investidores cobriram posições em outras moedas consideradas mais arriscadas, como o dólar australiano, que registrou mais cedo um ganho de quase 0,7% ante à moeda norte-americana.

 

Às 11h05 (de Brasília), o euro estava em US$ 1,2582, de US$ 1,2480 no fim da tarde de ontem. O dólar era cotado em 89,90 ienes, de 89,52 ienes ontem, enquanto o euro operava em 113,19 ienes, de 111,75 ienes. A libra era cotada en US$ 1,44365, de US$ 1,4392, e o dólar operava a 1,1465 franco suíço, de 1,1517 franco ontem. O índice do dólar estava em 85,616, de 85.942.

 

O euro poderá subir para cerca de US$ 1,2730, à medida que os investidores desfizerem suas apostas contra a moeda comum, antes de os problemas da zona do euro levarem a moeda comum a recuar para US$ 1,2135, afirmaram analistas do BNP Paribas.

 

No momento, o euro está recebendo algum suporte da aprovação do parlamento alemão da contribuição do país de até € 147,6 bilhões para o pacote de ajuda financeira de € 750 bilhões para as nações da zona euro em dificuldades. A aprovação ocorreu depois de a Alemanha proibir na terça-feira as posições vendidas a descoberto em ações de 10 das principais instituições financeiras alemãs, em bônus governamentais denominados em euros e em swaps de default de crédito (CDS) relacionados a esses bônus.

 

Mais cedo, a moeda única teve seus ganhos limitados, com a divulgação do índice dos gerentes de compras decepcionante na zona do euro bem como a pesquisa IFO de confiança das empresas alemãs.

 

Apesar de ter subido para 57,5 como o esperado, o índice de gerente de compras recuou para 56,2 em maio, ante de 57,3 em abril, quando o índice IFO de confiança dos empresários alemães caiu para 101,5 em maio, de 101,06 em abril, acima das estimativas dos analistas, que esperavam uma alta para 102.

 

O iene, que tem se beneficiado recentemente por ser considerado um refúgio seguro, ficou sob a pressão de venda na Ásia após o ministro das Finanças do Japão, Naoto Kan, manifestar preocupação com a força da moeda.

 

"O mercado, em princípio, deverá determinar as questões da taxa de câmbio, mas acho que devemos observá-las de perto e garantir que não haverá qualquer aumento excessivo do iene", disse Kan.

 

A declaração do ministro, interpretada como um possível sinal de intervenção pelo mercado, ajudou o dólar a se recuperar de sua recente baixa em relação à moeda japonesa.

 

O iene cedeu também após a decisão do Banco do Japão (BOJ, o banco central do país) de manter a taxa de juros em 0,1%, bem como, pelo plano anunciado pela autoridade monetária para apoiar aos empréstimos bancários, que inclui uma oferta de empréstimos aos bancos privados pelo prazo de um ano à taxa de 0,1%. A proposta impulsionará o uso do iene como uma moeda de financiamento. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
eurodólaralemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.