Euro sobe com dados globais, na véspera dos testes de estresse

Se resultados forem desfavoráveis, moeda europeia poderá cair

Regina Cardeal, da Agência Estado,

22 de julho de 2010 | 17h37

O euro subiu forte em relação ao dólar, uma vez que dados melhores do que o esperado da zona do euro e nos EUA divulgados nesta quinta-feira levaram os investidores para os ativos mais sensíveis ao crescimento global e de maior risco.

 

A moeda europeia superou US$ 1,29 depois do anúncio de que as vendas de residências usadas nos EUA caíram menos do que o esperado em junho. O índice de junho dos indicadores antecedentes, do Conference Board, também recuou menos do que o previsto. Moedas mais ligadas ao ritmo do crescimento da economia global, como o dólar da Austrália e o da Nova Zelândia ampliaram sua alta após os dados, subindo quase 1,75% em relação ao dólar norte-americano. A moeda australiana atingiu a máxima em dez semanas.

 

O avanço das moedas high yield foi inicialmente desencadeado pela inesperada melhora nos setores de manufatura e serviços da zona do euro em julho, indicando um bom começo para o terceiro trimestre, segundo a empresa de pesquisa Markit.

 

O foco do investidor agora se volta para a divulgação, nesta sexta-feira, dos resultados dos testes de estresse dos bancos europeus. Se os testes forem vistos como não suficientemente rígidos ou se os resultados forem particularmente ruins, o euro poderá cair, dizem analistas.

 

No fim da tarde em Nova York, o euro era negociado em US$ 1,2892, de US$ 1,2763 na quarta-feira. O dólar estava em 86,93 ienes, de 87,01 ienes ontem. O euro era negociado em 112,05 ienes, de 111,09 ienes na quarta-feira. A libra estava em US$ 1,5265, de US$ 1,5170. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dólareurolibra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.