Euro tem dia de queda

Às 10h50 (de Brasília), o euro caía para US$ 1,3568, de US$ 1,3620 no fim da tarde de sexta-feira, e recuava para 112,45 ienes, de 112,48 ienes

Danielle Chaves, da Agência Estado,

24 de janeiro de 2011 | 11h07

O euro opera em baixa, depois de atingir o maior nível em dois meses diante do dólar e do iene durante o pregão asiático, refletindo a falta de convicção dos investidores com relação ao rali recente da moeda europeia. Participantes do mercado permanecem cautelosos em apostar em um rali mais sustentado do euro antes de uma série de indicadores importantes a serem anunciados nesta semana.

Entre os fatores que provocaram o avanço do euro na Ásia esteve uma entrevista do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, ao Wall Street Journal, publicada ontem. Trichet alertou que o BCE está preparado para responder às pressões inflacionárias com taxas de juros mais altas, apesar da fraqueza econômica na Grécia e na Irlanda.

Os comentários reforçaram o tom mais propenso a uma elevação dos juros pelo BCE que emergiu no começo deste mês, levando o euro a atingir US$ 1,3648 e 112,70 ienes hoje. A notícia de que o Partido Verde abandonou a coalizão de governo na Irlanda teve pouco impacto sobre o euro, embora tenha sido citada como uma explicação para o recuo da moeda europeia no começo da manhã.

Os indicadores econômicos divulgados hoje na Europa foram favoráveis ao euro. A atividade do setor privado da Alemanha em janeiro se acelerou para o nível mais alto em quatro anos e meio, enquanto a atividade do setor privado da zona do euro se expandiu no ritmo mais rápido em seis meses. As encomendas à indústria da zona do euro, enquanto isso, ficaram em linha com as expectativas em novembro do ano passado.

No entanto, a espera pelos dados que serão divulgados nesta semana pesa sobre o euro. "O mercado está assumindo que parte da ansiedade em torno da crise de dívida da zona do euro diminuiu, mas nós permanecemos muito, muito cautelosos conforme nos aproximamos do que pode ser o fim dessa recuperação do euro", comentou Ian Stannard, estrategista do BNP Paribas em Londres.

Nenhum indicador será anunciado hoje nos EUA, mas o Federal Reserve se reunirá na quarta-feira para decidir sobre as taxas de juros e a primeira estimativa sobre o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no quarto trimestre de 2010 será divulgada na sexta-feira.

Às 10h50 (de Brasília), o euro caía para US$ 1,3568, de US$ 1,3620 no fim da tarde de sexta-feira, e recuava para 112,45 ienes, de 112,48 ienes. O dólar subia para 82,89 ienes, de 82,57 ienes na sexta-feira, e recuava para 0,9579 franco suíço, de 0,9586 franco suíço. A libra caía para US$ 1,5937, de US$ 1,6003. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.