Europa bate recorde com siderúrgicas e mineradoras

As bolsas européias sobem para o maior nível em quatro anos em meio, com as ações das empresas produtoras de aço, incluindo a Corus, disparando com as notícias envolvendo uma fusão da Mittal com a Arcelor. O índice Xetra-DAX, de Frankfurt, subia 1,04%, para 5.606 pontos, após chegar a 5.630 pontos, com as ações da ThyssenKrupp, maior siderúrgica alemã, e as da Porsche se acelerando após o anúncio de lucros acima das expectativas. A ThyssenKrupp também informou que comprará da Mittal a Dofasco. A mineradora BHP Billiton e a petrolífera Statoil operavam em alta, reagindo ao avanço do petróleo e do cobre. Em Londres, o FTSE-100 subia 1% e Paris, 1,32%. As bolsas européias também eram alavancadas pelos ganhos na Ásia e nos futuros de Wall Street. A Sony computou a maior alta em 15 anos, após informar, ontem, que deve registrar lucro e não prejuízo no resultado anual. Os futuros de Wall Street seguem em alta, reagindo aos prognósticos da Microsoft, após as ações norte-americanas terem subido ontem, respaldadas pela Caterpillar e Honeywell International. As ações da Arcelor disparavam 35%, após serem retomadas na Bolsa de Madri. Os papéis da empresa e da Mittal Steel foram suspensos pela manhã, gerando rumores sobre um negócio entre as duas partes, o que se confirmou. A Mittal ofereceu 18,6 bilhões de euros para se fundir à Arcelor. As notícias envolvendo as gigantes siderúrgicas deram impulso para a Corus, que subia 11% em Londres. "O fato de que as duas companhias líderes no setor estão em fusão está dando uma mensagem positiva", disse Filippo De Luca, da LMF Servizi Finanziari SA, em Lugano, na Suíça. Na Bolsa de Frankfurt, as ações da Salzgitter AG disparavam 9,5%, com a expectativa de que a segunda maior siderúrgica da Alemanha deve anunciar lucro exorbitante. A ThyssenKrupp subia 7,6%, mais cedo, quando anunciou lucro pré-impostos de 473 milhões de euros no primeiro trimestre, acima dos 358 milhões de euros previstos por analistas. A empresa anunciou, posteriormente, que fechou um acordo com a Mittal para comprar a canadense Dofasco. A Porsche ganhava uma velocidade de 2,5%, após a mais lucrativa montadora de veículos da Europa ter anunciado lucro líquido de 168 milhões de euros no primeiro semestre, superando as estimativas dos analistas. As mineradoras e petrolíferas também eram negociadas em alta na Europa. A BHP Billiton subia 2,7% e a Rio Tinto, terceira maior mineradora do mundo, avançava 1%. Uma joint venture na qual a BHP Billiton' tem participação fechou um acordo para vender a empresas japonesas carvão coque de alta qualidade por US$ 115 a tonelada, a partir de 1 de abril, o que corresponde a um desconto de 8% ante o preço anterior, segundo informaram a JFE Steel Corp. e a Sumitomo Metal Industries Ltd. No entanto, alguns analistas previam um desconto de 16%. Entre as petrolíferas, a Statoil ASA, maior companhia da Noruega, subia 2,3%. A Total SA, maior refinaria da Europa, avançava 1,9%. As informações são de agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.