Europa fecha em alta após pesquisas sobre indústria

Indicadores positivos nos Estados Unidos também ajudaram, mas a desaceleração da manufatura chinesa pressionou os mercados

AE,

01 de julho de 2013 | 13h48

As bolsas da Europa fecharam com ganhos moderados nesta segunda-feira, após pesquisas sobre a atividade no setor industrial da zona do euro, que vieram em linha ou um pouco acima do esperado pelos analistas. Indicadores positivos nos Estados Unidos também ajudaram, mas a desaceleração da manufatura chinesa pressionou os mercados. O índice pan-europeu Stoxx 600 ganhou 1,15%, fechando a 288,29 pontos.

O índice de atividade dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da zona do euro subiu para 48,8 em junho, de 48,3 em maio, de acordo com o provedor global de pesquisas de negócios Markit. O resultado atingiu o nível mais alto em 16 meses e superou a expectativa de economistas consultados pela Dow Jones, que haviam previsto uma leitura de 48,7. Entre as principais economias do bloco, o PMI da Alemanha caiu para 48,6 em junho, de 49,4 em maio. Na França, o indicador subiu para 48,4, de 48,3; e na Itália, a atividade avançou para 49,1, de 47,3.

Nos EUA, o PMI da Markit caiu para 51,9 em junho, de 52,3 em maio. O resultado final ficou abaixo da leitura preliminar, de 52,2. Já o índice de atividade do Instituto para Gestão de Oferta (ISM, na sigla em inglês) subiu para 50,9 em junho, de 49 em maio. A previsão dos economistas era de avanço para 50. Além disso, os investimentos em construção no país subiram 0,5% em maio ante abril, para a taxa anual sazonalmente ajustada de US$ 874,9 bilhões, o nível mais alto desde setembro de 2009.

Na madrugada, o HSBC havia divulgado que o PMI da China caiu para uma leitura final de 48,2 em junho, ante 49,2 em maio. Enquanto isso, o PMI oficial, medido pela Federação de Logística e Compra da China (CFLP, na sigla em inglês), recuou para 50,1, de 50,8. "Como de costume, o primeiro dia útil do trimestre forneceu uma desculpa suficiente para um modesto rali que foi ganhando força ao longo do dia", afirma o analista de mercado Chris Beauchamp, da IG Group.

Nesse cenário, o índice FTSE, da Bolsa de Londres, avançou 1,49%, fechando a 6.307,78 pontos. A InterContinental Hotels teve valorização de 3,65%, após ter a recomendação elevada por uma corretora. Entre outros destaques de alta aparecem a mineradora Antofagasta (+4,72%) e petroleira Tullow Oil (+4,80%).

Em Paris, o índice CAC-40 teve alta de 0,76%, encerrando a sessão a 3.767,48 pontos. A companhia de bebidas Pernod Ricard registrou valorização de 3,18% e a empresa de artigos de luxo LVMH avançou 2,29%. A rede de hotéis Accor ganhou 2,29%, após a ter a recomendação elevada pelo Deutsche Bank.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX subiu 0,31%, terminando em 7.983,92 pontos. A Siemens ganhou 2,45%, após vender a fatia na joint venture NSN para a Nokia por 1,7 bilhão de euros. Deutsche Boerse avançou 2,50% e ThyssenKrupp ganhou 1,42%. A companhia de energia RWE perdeu 5,18%, após não elevar as projeções para 2013, como alguns participantes do mercado esperavam. Em Milão, o índice FTSE-Mib ganhou 1,45% e fechou a 15.459,57 pontos. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex avançou 1,86%, para 7.907,10 pontos. Em Lisboa, o PSI-20 teve alta de 1,04%, a 5.614,46 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Europabolsasfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.