Europa fecha em alta com melhora do sentimento econômico

As bolsas da Europa fecharam em alta moderada nesta terça-feira, 30, impulsionadas pelo aumento no índice de sentimento econômico da zona do euro, que atingiu o maior nível em mais de um ano. Alguns resultados corporativos positivos também colaboraram para o bom humor. O índice pan-europeu Stoxx 600 ganhou 0,12%, fechando a 299,43 pontos.

Agencia Estado

30 de julho de 2013 | 13h50

O índice de sentimento econômico dos 17 países que compartilham o euro subiu para 92,5 em julho, de 91,3 em junho, e atingiu o nível mais alto desde abril de 2012. A leitura mostrou o terceiro aumento mensal consecutivo, o que sugere que as empresas estão cada vez mais dispostas a investir e os consumidores mais dispostos a gastar. Na Alemanha, o índice de confiança do consumidor medido pelo instituto Gfk subiu pelo sétimo mês consecutivo, para 7,0 pontos em agosto, ante 6,8 pontos em julho, atingindo o nível mais alto desde setembro de 2007 e superando a previsão de 6,9 pontos de economistas.

Enquanto isso, o PIB da Espanha teve uma contração de 0,1% no segundo trimestre de 2013 ante os primeiros três meses do ano, segundo dados preliminares divulgados hoje pelo instituto nacional de estatísticas INE. A economia encolheu 1,7% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior.

Nesse cenário, nem mesmo indicadores negativos nos EUA abalaram o ânimo dos investidores, isso em meio às expectativas com a decisão de política monetária do Federal Reserve amanhã e do Banco Central Europeu (BCE) na quinta-feira.

O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, subiu 0,15%, fechando a 8.271,02 pontos. Os destaques de alta foram Continental (+1,91%), E.ON (+1,78%) e Beiersdorf (+1,90%). Já o Deutsche Bank perdeu 3,79%, depois de divulgar que seu lucro líquido no segundo trimestre caiu 49,7%, para 335 milhões de euros. A Infineon, que também reportou resultados decepcionantes, teve desvalorização de 3,67%.

Em Paris, o índice CAC-40 avançou 0,45% e terminou a sessão a 3.986,61 pontos. A companhia de energia EDF saltou 7,39%, após seu lucro do segundo trimestre superar as estimativas dos analistas. A Air Liquide, que também divulgou balanço, ganhou 3,56%. A Publicis caiu 4,04%, com os investidores ainda digerindo a fusão com a Omnicom, anunciada no fim de semana.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE teve alta de 0,16%, para 6.570,95 pontos. No terreno positivo, GKN subiu 6,54% e ITV avançou 6,30%. Do outro lado, o setor bancário teve fortes perdas, pressionado pelo Barclays, que caiu 5,74%, após anunciar que vai vender 5,8 bilhões de libras esterlinas em ações para melhorar seus níveis de capital. O RBS caiu 2,52% e o Lloyds teve queda de 1,53%.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-Mib subiu 1,64%, para 16.542,90 pontos. Em Madri, o índice IBBEX-35 ganhou 0,96%, a 8.456,50 pontos. O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, registrou alta de 0,63%, a 5.788,83 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.