Europa fecha em alta, mas acumula queda em agosto

Índice pan-europeu Stoxx 600 teve pequeno ganho de 0,06%;  no mês, acumula perda de 1,6%

Álvaro Campos, da Agência Estado,

31 de agosto de 2010 | 13h57

As principais bolsas europeias fecharam em leve alta, revertendo perdas registradas mais cedo. Perto do fim da sessão, dados sobre a confiança do consumidor dos EUA ajudaram o mercado, amenizando receios sobre o ritmo da recuperação econômica. O índice pan-europeu Stoxx 600 teve uma pequeno ganho de 0,06% e fechou em 251,31 pontos. No mês, o índice acumula perda de 1,6%.

Os mercados na Europa abriram em queda, acompanhando a retração de 3,6% na Bolsa de Tóquio, em meio a receios sobre o fortalecimento do iene. Mas nos EUA, perto do fim da sessão na Europa, as bolsas operavam em alta, impulsionadas pelo índice de confiança do consumidor do Conference Board, que subiu para 53,5 em agosto, de 51 em julho. A previsão dos economistas era de que o índice ficaria em 51.

Hoje também foi divulgada uma queda na taxa de inflação anual da zona do euro em agosto, sinalizando que o Banco Central Europeu tem espaço para manter a sua política monetária, segundo dados preliminares da Eurostat, a agência de estatísticas da União Europeia. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos 16 países da zona do euro recuou para 1,6% em agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado, depois de aumentar 1,7% em julho.

Também foi divulgada a taxa de desemprego da zona do euro, que permaneceu inalterada em 10% pelo quinto mês consecutivo em julho, indicando que apesar do forte crescimento da economia no segundo trimestre a recuperação ainda não resultou na criação de um número significativo de novos empregos.

"Nós tivemos um mês onde os receios macroeconômicos dominaram o cenário", disse Paul Kavanagh, da Killik & Co. Segundo o analista, as condições voláteis e a incerteza econômica criaram "um mercado mais dos operadores do que dos investidores".

Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 0,45%, em 5.225,22 pontos. No mês, o índice acumulou perda de 0,63%. Hoje, o setor de mineração teve um bom desempenho (Anglo American +1,94%, Antofagasta +0,78%, BHP Billiton +1,86%, Fresnillo +3,22%, Kazakhmys +1,58% e Vedanta +2,05%). A Bunzl, empresa de empacotamento e distribuição, avançou 1,28%, após divulgar um aumento de 6,9% no lucro líquido do primeiro semestre. A prestadora de serviços Serco recuou 2,51% e a Unilever caiu 0,29%.

Mas o analista Ben Critchley, da IG Index, fez um alerta contra o otimismo. "Embora exista a ideia de que há uma forte dose de pessimismo pesando sobre os preços das ações no momento, será preciso um choque de dados indubitavelmente bons para ajudar os mercados a terem ganhos significativos", comentou.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra DAX fechou em leve alta de 0,22%, a 5.925,22 pontos. O índice totalizou retração de 3,62% am agosto. As ações da Bayer subiram 2,43% hoje, após a empresa anunciar resultados positivos de um estudo com o remédio anticoagulante Rivaroxaban. A BMW ganhou 1,12% e a fabricante de caminhões MAN teve alta de 0,86%. A Infineon perdeu 0,88%, ainda influenciada pela venda da unidade de comunicações wireless para a Intel, confirmada ontem. Amanhã os investidores devem ficar de olho nos dados sobre as vendas no varejo e o índice dos gerentes de compra (PMI) do setor manufatureiro no país.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, avançou 0,11%, e fechou em 3.490,79 pontos. Neste mês, o índice somou queda de 4,18%. A ações da rede varejista Carrefour caíram 0,78% nesta terça-feira, apesar da empresa anunciar que teve um lucro líquido de ? 82 milhões no primeiro semestre, ante ? 58 milhões de prejuízo no mesmo período do ano passado. A rede de moda Hermes International caiu 2,69%, mesmo após divulgar um aumento de 55,2% no lucro líquido do primeiro semestre. A Iliad subiu 6,76%, também depois de divulgar seu balanço no primeiro semestre. O banco Credit Agricole perdeu 2,36%. A L''Oreal avançou 0,95%.

Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 0,50%, em 10.187,00 pontos. O índice FTSE-MIB, da Bolsa de Milão, ganhou 0,18%, fechando em 19.734,57 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 0,07%, em 7.394,15 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.