Europa fecha em baixa com aumento de juros na China

Índice pan-europeu Stoxx Europe 600 fechou em baixa de 0,80%, a 279,18 pontos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

27 de dezembro de 2010 | 16h06

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em baixa, pressionados pela notícia de que o banco central da China elevou no último sábado as taxas básicas de juro. O aperto monetário chinês era esperado pelos investidores, mas ainda assim pesou sobre o sentimento do mercado, numa sessão de baixa liquidez em razão dos feriados de fim de ano.

O índice pan-europeu Stoxx Europe 600 fechou em baixa de 2,25 pontos, ou 0,80%, a 279,18 pontos. Na Bolsa de Paris, o CAC 40 recuou 38,20 pontos, ou 0,98%, para 3.862,19 pontos. O Xetra DAX, da Bolsa de Frankfurt, caiu 86,96 pontos, ou 1,23%, para 6.970,73 pontos, enquanto o Ibex 35, da Bolsa de Madri, teve queda de 207,90 pontos, ou 2,06%, para 9.899,00 pontos. A Bolsa de Londres não funcionou nesta segunda-feira.

As ações de montadoras tiveram alguns dos declínios mais acentuados na sessão, sofrendo pressão adicional da notícia de que o governo municipal de Pequim pretende limitar o número de licenças para a venda de automóveis no ano que vem para combater os engarrafamentos na cidade. A Associação de Concessionárias de Automóveis da China estima que a adoção dessa medida reduzirá em 50% as vendas de veículos novos na capital chinesa em 2011. Em Frankfurt, fecharam em baixa BMW (-6,39%), Volkswagen (-4,76%) e Daimler (-4,62%). Em Paris, caíram Peugeot (-2,07%) e Renault (0,64%), enquanto em Milão os papéis da Fiat fecharam em queda de 3,41%.

As ações do setor financeiro também recuaram de forma acentuada, principalmente por causa do aperto monetário na China. O banco central do país anunciou no último sábado que as taxas de depósito e de empréstimo foram elevadas em 0,25 ponto porcentual. No dia 19 de outubro, a instituição fez a primeira elevação em quase três anos de ambas as taxas. No dia 10 de dezembro, o banco central aumentou a taxa do compulsório pela sexta vez esse ano, em 0,5 ponto porcentual.

Entre os bancos franceses, fecharam em baixa Société Générale (-1,88%), Crédit Agricole (-2,04%) e BNP Paribas (-1,37%). Em Frankfurt, o Commerzbank teve declínio de 1,42%, enquanto em Madri tiveram queda Santander (-2,94%), BBVA (-2,30%) e Bankinter (-4,25%).

No segmento de aviação, a Aeroports de Paris e a Air France-KLM encerraram a sessão em território negativo, recuando aproximadamente 1,3% cada, por causa das interrupções de voos nos aeroportos Orly e Charles de Gaulle. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EuropaChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.