Europa fecha em direções divergentes com dados fracos da indústria da Itália e da França

Diante de poucas notícias no continente, os investidores europeus depositam expectativas para o primeiro discurso da nova presidente do Fed, Janet Yellen, nesta terça-feira, 11 

Mateus Fagundes, da Agência Estado, com informações da Dow Jones Newswires,

10 de fevereiro de 2014 | 16h12

As bolsas europeias fecharam o pregão em direções divergentes com os dados decepcionantes da indústria da Itália e da França contrabalançados pelo otimismo com notícias corporativas. O índice Stoxx Europe 600 subiu pelo quarto dia consecutivo, para 325,30 pontos (+0,10%).

A produção industrial da Itália caiu 0,90% em dezembro ante novembro e recuou 0,70% na comparação anual, segundo dados divulgados pelo instituto nacional de estatísticas. Ambos os resultados frustraram as expectativas. Analistas consultados pela Dow Jones Newswires previam estabilidade na comparação mensal e avanço anual de 0,4%.

Na mesma direção, a produção industrial francesa voltou a cair em dezembro do ano passado, após um avanço em novembro. A queda em comparação com novembro foi de 0,30%, enquanto o mercado esperava um recuo de 0,10%.

Diante de poucas notícias no continente, os investidores europeus depositam expectativas para o primeiro discurso da nova presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Janet Yellen, que ocorre nesta terça-feira, 11. O mercado espera para ver qual será a reação dos dirigentes da autoridade monetária aos dados ruins do mercado de trabalho dos Estados Unidos, divulgados na sexta-feira, 7. Em janeiro, a economia norte-americana criou 113 mil vagas, ante expectativa de 189 mil novos postos de trabalho.

Por outro lado, o noticiário sobre importantes empresas animou os investidores europeus. As ações da L''Oreal subiram 4,45% após a Bloomberg noticiar na última sexta-feira que a Nestlé estuda reduzir a sua participação na empresa de cosméticos francesa, que atualmente é de 29%. E os papéis da Nokia subiram 2,77% após a companhia liquidar todos os litígios de patentes pendentes com a HTC.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em alta de 0,21%, a 4.237,13 pontos, influenciado pela alta dos papéis da L''Oreal.

O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, fechou em alta de 0,30%, a 6.591,55 pontos. As ações de mineradoras impulsionaram os ganhos da bolsa inglesa, com destaque para a alta de 8,83% da Fresnillo, de 2,40% da Randgold Resources e de 0,55% da BHP Billiton.

O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou em baixa de 0,13%, a 9.289,86 pontos. A bolsa alemã foi pressionada pela baixa de 0,85% dos papéis da Deutsche Telekom, após o anúncio da compra de 39,23% das ações da empresa checa T-mobile.

A Bolsa de Milão fechou em leve baixa de 0,05%, a 19.682,82 pontos. O índice IBEX 35, da Bolsa de Madri, perdeu 0,89%, a 9.982,70 pontos e o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, recuou 0,09%, a 6.921,80 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.