Europa reage ao PIB dos EUA e bolsas fecham em alta

Os principais índices das bolsas européias encerraram a quinta-feira com ganho, recuperando-se das quedas dos últimos pregões. O que impulsionou a recuperação foram os dados positivos sobre inflação contidos no PIB revisado dos EUA para o primeiro trimestre deste ano, divulgado hoje. Os dados fizeram com que as bolsas nova-iorquinas operassem em alta, levando consigo as bolsas européias. Além disso, os investidores aproveitaram o momento para comprar ações que haviam ficado baratas nos últimos dias. O índice FT-100, da Bolsa de Londres, fechou em alta de 90,6 pontos (0,76%), em 5.677,7 pontos. As ações dos setores de mineração e petróleo, que estavam entre as que mais haviam caído recentemente, recuperaram terreno (Anglo American +2,88%, Antofagasta +3,66%, BHP Billiton +3,04%, Kazakhmys +2,91%, Rio Tinto +3,14%, Xstrata +2,65%, BP +2,26%, Shell +2,43%). As ações do banco Barclays subiram 1,18%, em reação a seu informe de resultados. As da London Stock Exchange caíram 9,25%, também depois da divulgação de seu balanço. As da operadora de aeroportos BAA caíram 5,58%, depois de o Escritório de Comércio Justo do Reino Unido anunciar uma investigação sobre se a estrutura atual do setor beneficia ou não os consumidores. As da produtora de açúcar Tate & Lyle subiram 5,62%, em reação a seu informe de resultados. As da Cable & Wireless, do setor de telecomunicações, caíram 2,50%, também depois da divulgação de seu balanço. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em alta de 79,51 pontos (1,63%), em 4.949,53 pontos. As ações da Danone subiram 4,31%, depois de elevação de recomendação pela Merrill Lynch. As da Technip-Coflexip subiram 4,09%, acompanhando a recuperação do setor industrial. As ações do setor financeiro também recuperaram terreno (BNP Paribas +2,04%, Crédit Agricole +1,65%, Societé Générale +1,85%). Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em alta de 118,83 pontos (2,13%), em 5.706,06 pontos. Os volumes foram superiores ao que seria de se esperar num feriado. Entre os destaques do pregão estavam ThyssenKrupp (+4,62%), Lufthansa (+4,73%), RWE (+3,82%), E.On (+3,84%) e Bayer (+3,09%). Um operador disse que "poderá haver alguma realização de lucros nos mercados anglo-saxões amanhã, já que segunda-feira haverá feriados nos EUA e no Reino Unido". Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib fechou em alta de 519 pontos (1,45%), em 36.191 pontos. Entre os destaques do pregão estavam as ações do setor financeiro, com os investidores apostando que o processo de consolidação do setor começará em breve (Capitalia +2,01%, Intesa +1,55%, Unicredito +1,41%). Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 161,00 pontos (1,46%), em 11.208,20 pontos. As ações do Banco de Sabadell subiram 2,45%, em reação à notícia do acordo para a aquisição do Banco Urquijo por ? 760 milhões. As da Telefónica avançaram 1,67%, refletindo o resultado positivo de uma conferência com analistas e investidores. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 30,92 pontos (0,33%), em 9.423,29 pontos. As ações de pequena capitalização tiveram uma recuperação técnica, disseram operadores, enquanto as blue chips (ações de primeira linha) operaram "de lado". As ações da Energias de Portugal, que divulgaria resultados depois do fechamento, fecharam no mesmo nível de ontem, assim como as do banco Comercial Português; as da Portugal Telecom caíram 0,43%. As da SonaeCom subiram 8,96%, depois de a empresa anunciar a compra de 1% da Portugal Telecom. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

25 de maio de 2006 | 15h35

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.