Expectativa de alta para Ibovespa atinge quase 70%

Entre 27 participantes, a fatia dos que veem alta para o índice atingiu 69,23%; 23,08% acreditam em queda

O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2018 | 04h00

A fatia do mercado financeiro que espera ganhos para o Ibovespa na próxima semana teve aumento expressivo, para perto de 70%, no Termômetro Broadcast Bolsa. A pesquisa tem por objetivo captar o sentimento de operadores, analistas e gestores para o comportamento do índice na semana seguinte. 

Entre 27 participantes, a fatia dos que veem alta para o índice atingiu 69,23%; a dos que acreditam em queda é de 23,08%; e a dos que preveem estabilidade, de 7,69%. Na pesquisa anterior, as expectativas de valorização representavam 56,00% do total; as de baixa, 28,00%; e as de estabilidade, 16,00%. A Bolsa apurou ganho semanal de 1,65%.

Os destaques da próxima semana são as decisões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos, ambas na quarta-feira, e a do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), na terça. Aqui, é unânime entre 62 instituições do mercado financeiro consultadas pelo Projeções Broadcast que a taxa Selic será mantida em 6,5% ao ano. Para a decisão do Federal Reserve (banco central americano), há consenso de que os juros ficarão estáveis, na faixa entre 1,75% e 2,00%. Na semana que vem, também haverá reunião sobre juros do Banco da Inglaterra, na quinta-feira. Entre os indicadores, na sexta-feira será divulgado o relatório de emprego norte-americano referente a julho.

A temporada de balanços domésticos referentes ao segundo trimestre segue a todo vapor nos próximos dias, com divulgação de números de grandes bancos e companhias, como Itaú Unibanco, Cielo, Embraer e Petrobras.

O investidor também estará atento ao desenrolar da corrida presidencial, uma vez que os partidos têm até o dia 5 para a realização das convenções. Além disso, há expectativa sobre o fechamento das alianças e definição sobre quem serão os vice-presidentes nas chapas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.