Exportações de suínos favorecem Sadia e Perdigão

As ações das empresas de alimentos Sadia e Perdigão podem ter uma reação ligeiramente positiva aos dados das exportações de carne suína de maio divulgados na quinta-feira, segundo avaliação do Banif Investment Banking. Os volumes cresceram 61,1% sobre abril, mas ficaram 11,1% abaixo do mesmo período do ano anterior. Em relatório, o banco considerou a recuperação forte, apesar da suspensão de exportações para a Rússia. "Acreditamos que as empresas estão encontrando alternativas." As vendas nos cinco primeiros meses do ano cresceram 75% para Cingapura, em comparação a 2005, e 28% para Hong Kong, alerta o analista Roger Oey. Outra notícia favorável, segundo ele, é o preço. O patamar de maio foi o maior desde 2003. O preço médio de exportação atingiu US$ 2.120/tonelada, uma alta de 7,3% sobre o mês anterior e 9,4% sobre o mesmo período no ano passado. O banco informou ainda que está elevando o preço-alvo (para 12 meses) da Perdigão em 9%, para R$ 27,40 por ação, em decorrência de notícias positivas no segmento de suínos e do ajuste de projeções para a nova premissa de taxa de câmbio. O preço de Sadia também foi elevado, em 5,5%, para R$ 7,50 por ação. Ambas têm recomendação de 'comprar'.

Agencia Estado,

10 de junho de 2006 | 07h00

Tudo o que sabemos sobre:
ações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.