Fala de Angela Merkel derruba bolsas da Europa

Chanceler alemã  reiterou hoje sua oposição à elevação da capacidade de empréstimo do Mecanismo Europeu de Estabilidade

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

13 de dezembro de 2011 | 16h26

As bolsas europeias fecharam em queda na sua maioria, afetadas por comentários da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, sobre o Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM, na sigla em inglês). Fontes da coalizão de governo da Alemanha afirmaram que Merkel reiterou hoje sua oposição à elevação da capacidade de empréstimo do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM, na sigla em inglês), que atualmente é de 500 bilhões de euros.

Os comentários de Merkel ofuscaram leilões bem-sucedidos de bônus de curto prazo da Espanha, Grécia e Bélgica. A EFSF também vendeu 1,972 bilhão de euros em títulos para três meses.

O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou em queda de 0,19%, aos 5.774,26 pontos. As ações do Commerzbank recuaram 4,6%, após relatos de que o banco e o governo alemão estão em negociações sobre uma potencial ajuda estatal.

Na mão contrária, as ações da Volkswagen subiram 0,3%, após a montadora reportar que as vendas de suas marcas principais de carros de passageiros subiram cerca de 15% em novembro, em bases anuais. As ações da BMW também avançaram 0,8%.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 teve queda de 0,35%, para 3.078,72 pontos. As ações dos bancos e seguradoras recuaram, com Société Générale (-4,7%), BNP Paribas (-2,5%) e AXA (-3,4%).

Na Espanha, o índice Ibex 35 declinou 0,63%, para 8.327,80 pontos, apesar de um leilão de notas de 12 e 18 meses registrar demanda saudável e pagar yields menores em relação a leilões similares anteriores realizados em novembro.

Além disso, a agência de classificação de risco Moody''s colocou o rating de oito bancos espanhóis sob revisão para possível rebaixamento, citando a pressão resultante da fraqueza econômica e o risco com os problemas enfrentados pelo mercado imobiliário do país. O Banco Santander e o BBVA não estavam entre os bancos citados pela Moody''s, mas suas ações recuaram 1,5% e 2,3%, respectivamente.

Ainda entre os países periféricos, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, teve baixa de 1,35%, para 5.342,66 pontos. Na Bolsa de Milão, o FTSE MIB teve baixa de 0,31%, para 14.851,25 pontos. Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 encerrou em alta de 1,15%, para 5.490,15 pontos, impulsionado pela alta dos contratos futuros do petróleo.

O índice pan-European Stoxx 600 também subiu 0,5% e encerrou aos 237,30 pontos, conduzido pelos ganhos das mineradoras e petroleiras. Entre as ações em destaque, Vedanta Resources subiu 3,4%) e Petrofac Ltd. Avançou 5,1%). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropaMerkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.