Fantasma de nova alta nos juros dos EUA afeta NY

A expectativa em torno dos números do mercado de trabalho nos Estados Unidos em junho coloca Wall Street em rota de queda acentuada hoje. O índice Dow Jones da Bolsa de Nova York recuava 0,85% às 12h30. O índice Nasdaq, que concentra as ações de tecnologia, caía 1,90% no mesmo horário. Pela manhã, os índices futuros já indicavam um dia ruim, com os investidores retraindo o interesse pelas ações, com o pretexto da ampliação das tensões geopolíticas. A Coréia do Norte realizou lançamentos de mísseis na virada do dia. Mas o mercado de ações afundou mesmo com um levantamento da Automatic Data Processing (ADP) & Macroeconomic Advisers, que cunhou uma previsão de aumento de 368 mil vagas de trabalho na economia norte-americana em junho. O número é mais do que dobro dos 170 mil postos previstos pelos economistas consultados pela Dow Jones, para o relatório do Departamento de Trabalho que será divulgado na sexta-feira. O levantamento da ADP ampliou a expectativa de alta na taxa de juros em agosto nos EUA. Nos Fed Funds futuros, os contratos elevaram de 63% para 73% a previsão de novo aumento da taxa básica de juros nos EUA em 8 de agosto, para o nível de 5,5% ao ano. Hoje a taxa básica dos fundos interbancários norte-americanos está em 5,25% ao ano. As ações da General Motors cediam 0,48%. O conselho de diretores da montadora vai promover uma teleconferência, sexta-feira, para discutir a proposta de aliança com a Renault e a Nissan e para destrinchar os progressos de seu plano de reestruturação. O índice Nasdaq tinha perdas mais acentuadas, com várias gigantes do setor de tecnologia sendo punidas por vendas. Nesse grupo estavam as ações da Microsoft, Apple Computer, Dell, Cisco Systems, Intel, Microsoft e International Business Machines. A Microsoft cedia 1,7%, após a Justiça da Coréia do Sul ter rejeitado um pedido da companhia para que uma decisão antitruste contra a companhia fosse congelada enquanto a empresa faz uma apelação. A Oracle perdia 0,9%, com o presidente da empresa para as operações da Ásia ter informado que a companhia deve fazer aquisições de concorrentes asiáticas para conquistar uma fatia maior de mercado. A Advanced Micro Devices cedia 1,7%, após o UBS ter reduzido a sua meta de preço para o ativo de US$ 33 para US$ 29, argumentando que a revisão foi motivada pela decisão da empresa de reduzir os preços dos chips para PCs em resposta às pressões competitivas da Intel, sua principal concorrente. A expectativa crescente de que os EUA farão um novo aperto monetário em agosto dava suporte para o dólar, que se valorizava 0,63%, para 115,70 ienes. O euro cedia 0,46%, para US$ 1,2714. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.