Fator eleva preço-alvo de Aracruz para R$ 12,29

A Fator Corretora elevou o preço-alvo para os papéis de Aracruz, de R$ 10,39 por ação, para R$ 12,29 em dezembro de 2006. Em relatório divulgado aos clientes, a instituição também reiterou a sugestão de manter as ações em carteira. De acordo com o analista Marcos Paulo Fernandes, o início das operações da Veracel e sua possível expansão vai garantir o crescimento do volume de vendas da Aracruz, tanto no curto quando no longo prazo. "As perspectivas para o preço internacional da celulose no curto e médio prazos, no entanto, permanecem desfavoráveis e a apreciação do câmbio continuará exercendo efeitos perversos sobre as margens operacionais", destaca o analista no relatório. Segundo Fernandes, a revisão das projeções para a companhia leva em conta, entre outros fatores, a redução da queda estimada para os preços médios da celulose para 2006. "Nossas premissas anteriores eram de queda no preço da celulose de 5,5% e 4,9%, respectivamente, para este ano e o próximo e recuperação de 7% e 5% em 2008 e 2009", comenta. Agora, a previsão da corretora é de queda de 1% nos preços médios em 2006, 5% em 2007 e 2008 e 2% em 2009. "Cada US$ 10 por tonelada nos preços da celulose responde por cerca de 8,5 pontos porcentuais no potencial de valorização estimado para a Aracruz", acrescenta. Para este ano, a Fator projeta crescimento de 14% no volume de vendas da companhia, para cerca de 3 milhões de toneladas, e de 2,4% na receita líquida, para R$ 3,4 milhões. O menor incremento estimado para a receita, conforme o analista, deve-se à esperada apreciação do câmbio. Para o primeiro trimestre, especificamente, a corretora estima ligeira redução no volume de vendas na comparação com os três meses anteriores, para 748 mil toneladas. "Em relação ao mesmo período do ano passado deverá registrar significativa melhora em razão da operação da Veracel", complementa Fernandes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.