Fatores externos e internos levam Bovespa ao negativo

Uma conjunção de fatores, externos e internos, favorece o movimento de realização de lucros sinalizado pelo Ibovespa futuro nas negociações fechadas no sistema eletrônico GTS da Bolsa de Mercadorias & Futuros. O índice Ibovespa à vista abriu o pregão da Bolsa de Valores de São Paulo em baixa e cedia 0,54% às 10h04 a 38.447 pontos, na mínima. O cenário externo não é dos melhores, com o crescimento da percepção de que a taxa de juro nos EUA não deve cair no final deste ano. Ontem, o presidente do Fed de Dallas, Richard Fisher, reiterou os temores do Fed (banco central americano) de que a inflação possa ainda estar muito alta, trazendo de volta a perspectiva de outro aperto do Fed. Diante disso, não poderia ser maior a expectativa dos investidores hoje com a ata da reunião do Comitê de Mercado Aberto do Fed, que será divulgada às 15 horas. Uma boa parcela dos investidores e economistas acredita que a ata trará evidências de que a economia dos EUA não registra desaceleração acentuada, confirmando as declarações recentes de autoridades do BC norte-americano. Também se espera que a ata aponte para os riscos da inflação, o que reduziria a necessidade de corte no juro nos próximos meses. Hoje, o juro do título de 10 anos do Tesouro americano se mantém praticamente no mesmo nível do fechamento de ontem, em 4,75% ao ano. Mas os índices futuros das bolsas em Wall Street operam em baixa, pressionados pela Alcoa, que ontem à noite abriu a temporada norte-americana de balanços financeiros do terceiro trimestre. As ações da Alcoa caíam 4% hoje cedo na Alemanha, após a empresa anunciado um lucro por ação abaixo das expectativas dos analistas no terceiro trimestre. O petróleo, por sua vez, opera em leve alta, tentando avaliar o real impacto do anúncio de que a produção do produto será cortada em 1 milhão de barris/dia, feito pelo presidente da Opep, Edmund Daukoru. Do lado doméstico, o fato de ser véspera de um feriado e a boa valorização acumulada pela Bolsa no mês até ontem (6,05%), estimulam os investidores a embolsarem parte dos ganhos. Some-se a isso o vencimento de opções sobre ações na próxima segunda-feira e de Ibovespa futuro de outubro na quarta, dia 18. Para completar, tem a pesquisa eleitoral Datafolha, que mostra que o presidente e candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva ampliou de 7 para 11 pontos a vantagem sobre o seu adversário, o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, que caiu de 43% das intenções de voto para 40%. Lula, por sua vez, avançou de 50% para 51%, segundo a pesquisa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.