Fechamento em alta predomina entre bolsas asiáticas

Os mercados de ações da região da Ásia e do Pacífico fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira, 25, elevando os ganhos acumulados na semana. Diante da falta de grandes catalisadores, as bolsas encerraram o pregão com fatores locais, como o impulso dado a empresas do setor de mineração da China após valorizações em preços de metais.

LUCAS HIRATA, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES, Agência Estado

25 de julho de 2014 | 07h32

O índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, terminou o dia com alta de 0,31%, aos 24.216,01 pontos, resultando em um forte ganho semanal de 3,25%. O mercado foi sustentado nas últimas sessões pelo índice de gerentes de compras (PMI) do setor industrial da China, que subiu em julho para o melhor nível em 18 meses, de acordo com dados do HSBC. Além disso, o setor imobiliário ganhou tração durante a semana diante de expectativas de alívio nas restrições para compras de residências na China.

A tendência de alta também foi observada em Xangai e Shenzhen, alimentada por ações "cíclicas" como de empresas de exploração de metais e carvão, devido a uma melhora nos preços globais de commodities indústrias. O avanço nos fundamentos econômicos e crescimento do apetite por papéis de grandes empresas foram fatores adicionais para a onda de compras.

O índice Xangai Composto subiu 1,02%, para 2.126,61 pontos, maior nível de fechamento desde 14 de abril. Na semana, a elevação foi de 3,28%. O índice Shenzhen Composto avançou 0,95%, para 1.111,52 pontos, com alta de 0,93% no acumulado da semana.

Em Sydney, por outro lado, as ações foram alvo de realização de lucros e o índice S&P/ASX 200 perdeu 0,08%, aos 5.583,50 pontos, limitando o ganho semanal para quase 1%. O índice Kospi, de Seul, encerrou com elevação de 0,36%, aos 2.033,85 pontos, com alta semanal de 0,71%.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.