Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Fed ainda pesa e Bolsas de NY têm maior queda do ano

As Bolsas de Nova York encerraram com forte declínio nesta quinta-feira, 20, com os investidores ainda assimilando a possibilidade de uma redução do programa de estímulos do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) à economia norte-americana. O presidente do Fed, Ben Bernanke, indicou na véspera que a compra de ativos pode ser interrompida ainda este ano.

Agencia Estado

20 de junho de 2013 | 18h28

O índice Dow Jones caiu 353,87 pontos (-2,34%) e fechou a 14.758,32 pontos, com a maior queda em pontos em um dia desde novembro de 2011. O S&P 500 perdeu 40,74 pontos (2,50%), encerrando a 1.588,19 pontos. O Nasdaq recuou 78,57 pontos (2,28%) e terminou a 3.364,63 pontos. Os três índices registraram as baixas mais expressivas do ano.

Mesmo com uma visão otimista em relação à economia, a possível desaceleração do programa de compra de ativos ditou o comportamento cauteloso dos investidores até o final do pregão.

Nem mesmo a melhora dos indicadores norte-americanos foi suficiente para dar fôlego aos investidores do país, uma vez que os dados foram vistos como um motivo a mais para o Fed reduzir estímulos. Por lá, o índice de atividade da Filadélfia subiu para 12,5 pontos em junho, ante previsão de -2 pontos. No mesmo sentido, as vendas de moradias subiram 4,2% em maio, frente à previsão de alta de 0,6%.

A informação de que o Fundo Monetário Internacional (FMI) suspenderia a ajuda financeira à Grécia, caso a zona do euro não cobrisse um "buraco" no resgate ao país, também incentivou o tom negativo. Depois da notícia, o Dow Jones passou a cair mais de 300 pontos.

Além disso, uma leitura fraca sobre a indústria chinesa preocupou e contribuiu para a derrocada dos índices de Wall Street. O indicador que mede a atividade manufatureira da China passou de 49,2 pontos em maio para 48,3 pontos em junho, a mínima em nove meses.

No âmbito corporativo, as ações da Wall Disney (-3,65%) e da Intel (-3,26%) se destacaram negativamente e foram as que mais pesaram sobre o Dow Jones.

Na Europa, as Bolsas acabaram em baixa, refletindo apenas neste pregão as declarações feitas por Bernanke na véspera. A Bolsa de Londres fechou em queda de 2,98%, a de Frankfurt caiu 3,28%, Paris perdeu 3,66% e Madri recuou 3,41%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasNova Yorkfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.