Fed preocupa, investidor vende ações e bolsas da Ásia caem

Possível retirada do Fed do programa de compras mensais de bônus desencadeou onda de venda de papeis

Agencia Estado

07 de agosto de 2013 | 06h05

Os mercados de ações asiáticos fecharam em queda nesta quarta-feira, com preocupações sobre o futuro da política monetária dos Estados Unidos. A onda de vendas foi desencadeada por comentários de duas autoridades do Federal Reserve. O presidente do Fed de Atlanta, Dennis Lockhart, e o presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, disseram que o banco central norte-americano poderia começar a retirar o programa de US$ 85 bilhões mensais de compra de bônus em setembro, reacendendo o debate sobre o cronograma do banco central.

As medidas de estímulo dos EUA foram responsáveis por pesadas compras na Ásia no início deste ano, uma vez que os investidores procuraram ativos de maior rendimento em toda a região.

Contudo, nos últimos meses, a expectativa de uma redução iminente do programa de dinheiro fácil do Fed abalou os mercados asiáticos, levando investidores a tirarem capital da região. A renovação dessas preocupações desencadeou quedas acentuadas nos mercados regionais nesta quarta-feira: o índice S&P/ASX 200, de Sydney, perdeu 1,9% para 5.011,30 pontos e o índice Kospi, de Seul, caiu 1,5%, para 1.878,33 pontos. Em Taipé, o índice Taiwan Weighted fechou em queda de 1,5% aos 7.921,29 pontos e o índice PSEi, das Filipinas, subiu menos de um ponto para 6.420,79 pontos.

As ações na China também terminaram o pregão em território negativo, antes de dados econômicos que devem ser anunciados nas próximas sessões. O índice Hang Seng, de Hong Kong, caiu 334,86 pontos, ou 1,5%, para 21.588,84 pontos e o índice Xangai Composto caiu 0,7%, para 2.046,78 pontos. O índice Shenzhen Composto caiu 1,2%, para 990,78 pontos.

As ações do setor financeiro pesaram sobre o índice em Hong Kong. O Bank of China caiu 2,2% e o China Construction Bank perdeu 2,1%. O HSBC continuou a cair depois de decepcionar investidores com seu relatório de ganhos na segunda-feira, a ação do banco fechou em queda de 1,2%.

Os mercados também estavam digerindo notícias de resultados corporativos. Na China, a China Vanke subiu 0,5% em Shenzhen depois que a empresa informou que seu lucro líquido subiu 22% no primeiro semestre. A empresa é uma das primeiras incorporadoras chinesas a anunciar dados e é vista como um termômetro para o setor imobiliário. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.