Fed 'sombrio' derruba bolsas asiáticas; HK -4,85%

Crescimento das incertezas e do pessimismo sobre a economia global faz mercados despencarem

Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

22 de setembro de 2011 | 07h45

As Bolsas da Ásia recuaram forte, com baixas superiores a 2%. As incertezas e o pessimismo sobre a economia global foram amplificados pela queda em Wall Street e pelas previsões sombrias do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) sobre os riscos e perspectivas da economia norte-americana.

Estes fatores, aliados a indicadores preliminares da atividade manufatureira na China que mostram declínio em setembro, derrubaram a Bolsa de Hong Kong para o menor patamar em 26 meses. O índice Hang Seng caiu 912,22 pontos, ou 4,85%, e encerrou aos 17.911,95 pontos, o pior fechamento desde 14 de julho de 2009.

As Bolsas da China também fecharam em forte queda, no embalo das perdas em Nova York e dos números sobre a atividade manufatureira local, que apontam para a redução do crescimento econômico. O índice Xangai Composto perdeu 2,8% e encerrou aos 2.443,06 pontos. O índice Shenzhen Composto recuou 2,9% e terminou aos 1.070,78 pontos.

O yuan se desvalorizou sobre o dólar, em meio ao rali da moeda norte-americana em relação às unidades regionais. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,3877 yuans, de 6,3823 yuans ontem.

Já a Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, também caiu por conta da realização de lucros por parte de investidores estrangeiros e da valorização do dólar. O índice Kospi perdeu 2,90% e encerrou aos 1.800,55 pontos.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé encerrou em baixa, influenciada pela debilidade de Wall Street e dos mercados regionais. O índice Taiwan Weighted retrocedeu 3,06% e fechou aos 7.305,50 pontos.

No mesmo sentido, a Bolsa de Sydney, na Austrália, sofreu a maior queda da semana, atingindo a menor pontuação em seis semanas. O índice S&P/ASX 200 teve baixa de 2,63% e fechou aos 3.964,90 pontos.

Nas Filipinas, a Bolsa de Manila também fechou em baixa. O índice PSEi recuou 2,57% e terminou aos 4.096,10 pontos.

A Bolsa de Cingapura teve forte baixa, com os investidores reagindo à avaliação pessimista do Fed sobre a economia dos EUA. Outro fator a pesar foi o declínio da atividade industrial da China em setembro. O índice Straits Times perdeu 2,6% e fechou aos 2.720,53 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, recuou 8,9% e fechou aos 3.369,14 pontos, com os fundos estrangeiros reduzindo suas posições em meio a preocupações de que a desvalorização da rupia pode provocar explosão da inflação e afetar os lucros das empresas e a economia.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, acompanhou o movimento das demais asiáticas e cedeu 3,8%, fechando aos 990,59 pontos.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, cedeu 2,2% e fechou aos 1.387,81 pontos, afetado pelo cenário traçado pelo Fed e preocupações com a crise da dívida europeia. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.