Feriado em SP tira liquidez do câmbio e dólar fecha estável

Dólar no balcão fechou estável, cotado a R$ 1,6720; giro financeiro somou cerca de US$ 732,2 milhões

Silvana Rocha, da Agência Estado,

25 de janeiro de 2011 | 17h39

As operações de câmbio restringiram-se hoje ao mercado de balcão em outras praças do País uma vez que bancos e corretoras e a BM&FBovespa não abriram em São Paulo, em razão do feriado municipal pelo aniversário de 457 anos da cidade. Assim, o dólar à vista moveu-se entre margens estreitas e com giro financeiro pequeno. "Sem negócios na Bolsa, as mesas de câmbio de algumas instituições financeiras em São Paulo trabalharam em esquema de plantão, com poucas operações de fechamento de câmbio de comércio exterior. Não houve praticamente fluxo financeiro dada a impossibilidade de arbitragens devido ao fechamento da Bolsa", disse um operador de um grande banco nacional.

O operador Eduardo Rocha, da Renascença Corretora, afirmou que houve algumas operações de ptax entre bancos hoje, visando o fortalecimento dessa taxa, que servirá amanhã para a liquidação do lote de 20 mil contratos de swap cambial reverso vendido ontem em leilão realizado pelo Banco Central. Essa colocação de swap reverso somou US$ 988,2 milhões. Com base nessas operações de hoje, o operador estima que a ptax de venda deve fechar perto de R$ 1,6748. O BC deve informar o valor da ptax mais tarde.

Diante da liquidez estreita na sessão, o Banco Central fez somente um leilão de compra de dólares à tarde e fixou a taxa de corte em R$ 1,6737. No fechamento, o dólar no balcão estava estável, cotado a R$ 1,6720, após oscilar 0,24%, de uma mínima de R$ 1,6710 (-0,06%) a uma máxima de R$ 1,6750 (+0,18%). O giro financeiro total somou cerca de US$ 732,250 milhões, dos quais cerca de US$ 732 milhões em D+2.

Durante a sessão, os players monitoraram os dados divulgados pelo Banco Central sobre conta corrente e investimento estrangeiro direto no País em dezembro e em 2010, além do fluxo cambial positivo no mês até o dia 21 em US$ 9,205 bilhões, mas essas informações não fizeram preço no mercado, afirmou a mesma fonte do banco nacional. Segundo o BC, as compras de dólares pela autoridade monetária elevaram as reservas em janeiro, também até o dia 21, em US$ 3,927 bilhões. Ontem, o saldo das reservas internacionais subiu US$ 955 milhões, para US$ 293,443 bilhões no conceito de liquidez internacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.