Feriado nos EUA reduz negócios e dólar sobe a R$ 1,667

O dólar à vista negociado na BM&F registrou alta de 0,22% e encerrou o pregão a R$ 1,6665

Silvana Rocha, da Agência Estado ,

21 de fevereiro de 2011 | 17h22

O dólar comercial subiu 0,18% hoje e fechou as negociações no mercado interbancário de câmbio cotado a R$ 1,667. No mês, a moeda americana acumula queda de 0,42%. O dólar à vista negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) registrou alta de 0,22% e encerrou o pregão a R$ 1,6665. O euro comercial fechou a R$ 2,28, leve alta de 0,09% no dia.

O feriado do Dia do Presidente nos Estados Unidos diminuiu o volume de negócios hoje no mercado de câmbio doméstico e o foco das atenções foram os conflitos no Oriente Médio e Norte da África. Os protestos contra Muamar Kadafi, há mais de 40 anos no poder na Líbia, prejudicaram a produção e o fornecimento de petróleo na região. Os preços da commodity dispararam e atingiram US$ 108 o barril o petróleo Brent nas negociações na ICE.

No mercado internacional de moedas, o dólar ficou praticamente "de lado" ante o euro e o iene e mostrou leve ganho ante o franco suíço durante a tarde. Aqui, a moeda norte-americana ampliou os ganhos na sessão vespertina em meio à expectativa de eventual leilão de compra à vista pelo Banco Central, o que não se confirmou. O BC não fez leilão no mercado à vista, mas realizou pela manhã dois leilões de compra de dólar a termo. Depois da operação de compra de dólar para liquidação em 9 de março, cuja taxa de corte foi de R$ R$ 1,6701, o BC chamou outro leilão a termo, desta vez para 16 de março, no qual fixou a taxa de corte em R$ 1,6736.

Câmbio turismo

Nas operações de câmbio turismo, o dólar caiu 0,73% para R$ 1,767 na venda e a R$ 1,643 na compra. O euro turismo registrou baixa de 1,13%, cotado a R$ 2,37 (venda) e R$ 2,207 (compra).

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólareuropetróleoferiado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.