Fiat fecha parceria com Tata para produzir pick-ups na Argentina

A Fiat anunciou hoje a conclusão de um acordo de cooperação estratégica com a indiana Tata para produzir uma pick-up na sua planta industrial de Córdoba, na Argentina. A nova linha receberá investimentos de US$ 80 milhões e a previsão é de que os primeiros veículos saiam da nova linha de montagem já em 2008. A produção anual plena é estimada em 20.000 unidades.Em comunicado, a empresa explica que, com a produção do utilitário, o seu complexo industrial em Córdoba retomará a atividade integral de todas as suas unidades produtivas. Atualmente a unidade produz motores e caixas de câmbio para abastecer a Fiat no Brasil e também de caixas de câmbio para a PSA Peugeot Citröen, dentro do acordo recentemente firmado.A pick-up, baseada na nova geração do modelo de pick-up Tata, será vendida nos mercados da América Latina e europeus, por meio da rede de distribuição e importação da Fiat Automobiles. "Este modelo permitirá à marca Fiat disputar agressivamente o segmento de pick-ups médias, graças ao "know how" específico da Tata", afirma a montadora.Na avaliação da Tata Motors, a América Latina é um importante mercado, razão pela qual está examinando oportunidades para oferecer os seus produtos na região, inclusive através de cooperação com a Fiat e a Iveco para a fabricação e distribuição."Esse acordo permitirá à Fiat entrar em um segmento específico de carros, com um produto muito competitivo", afirma em nota o Ceo do Fiat Group e do Fiat Group Automobiles, Sergio Marchionne.A Tata Motors e Fiat Auto já tinham uma joint venture industrial na Índia para a fabricação de carros de passageiros, motores e caixas de câmbio para os mercados da Índia e também para exportação. A montadora indiana também já distribuía carros da marca Fiat na Índia.Com mais de 4 milhões de veículos produzidos na Índia, a Tata Motors é líder em veículos comerciais e vice-líder em automóveis de passageiros, na Índia. No exercício 2005/06 a empresa vendas de US$ 5,5 bilhões. A empresa também produz caminhões médios e pesados, além de ônibus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.