Fim do ciclo de alta de Selic elevou demanda por papéis prefixados

Segundo ele, esse contexto levou a uma redução nas taxas de juros dos papéis do governo

Fábio Graner e Adriana Fernandes, da Agência Estado,

23 de setembro de 2010 | 15h38

O coordenador geral de Operações da Dívida Pública do Tesouro Nacional, Fernando Garrido, disse hoje que o fim do ciclo de alta dos juros básicos (taxa Selic) pelo Banco Central elevou a demanda por títulos prefixados em agosto. Segundo ele, esse contexto levou a uma redução nas taxas de juros dos papéis do governo. Por exemplo: a NTN-F com vencimento em 2021 que em 29 de julho foi vendida com taxa de 12,2% ao ano, em 26 de agosto saiu a 11,28% ao ano. "A queda nas taxas se deve à demanda maior e a expectativa do fim de alta da taxa Selic", disse Garrido.

 

Segundo ele, em setembro, com o mercado já mais ajustado com as expectativas em torno da política monetária, a demanda por títulos públicos se reduziu, bem como a oferta desses papéis pelo governo. Ainda de acordo com ele, as taxas pedidas pelo mercado aumentaram.

Tudo o que sabemos sobre:
Tesouroprefixadosdívida pública

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.