Fim do embargo da Rússia tem efeito limitado, diz corretora Fator

A liberação das exportações de carnes bovinas e suínas do Rio Grande do Sul por parte da Rússia beneficia as ações da Sadia, Perdigão e Avipal, que possuem plantas no Estado, mas o efeito positivo é limitado e não muda as perspectivas para o setor. A opinião é do analista da Fator Corretora, Marcio Kawassaki. Em relatório distribuído aos clientes, Kawassaki destaca que a venda de suínos representa menos de 10% das empresas analisadas, que o governo brasileiro já negociava a liberação das exportações desde janeiro deste ano e só agora conseguiu suspender o embargo em apenas um Estado e que os preços de aves e suínos continuam a cair em relação ao mesmo período do ano anterior. Kawassaki sugere que os clientes da corretora mantenham em carteira as ações da Sadia e Perdigão e opina que as ações da Avipal não estão atraentes. Os preços-alvos projetados para o fim do ano são R$ 8, R$ 83 e R$ 8,23, respectivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.