Financiamento de imóveis pode chegar a R$ 10 bi em 2006

O volume de recursos destinados ao financiamento imobiliário apresentaram forte crescimento em 2005 e aceleraram ainda mais no primeiro semestre de 2006, o que fez com que as estimativas para o restante deste ano fossem revisadas para cima. Para o investidor, isso significa que tomar um empréstimo para a compra de um imóvel tornou-se mais fácil. Além disso, com maior volume de crédito disponível para a habitação, os bancos tendem a competir pelo investidor, aumentando o prazo do financiamento ou diminuindo os juros. Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), as operações contratadas pelos agentes que integram o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) devem crescer 108% em 2006, totalizando R$ 10 bilhões. A Abecip revisou sua avaliação para cima por conta do resultado recorde alcançado no primeiro semestre do ano. Pela nova estimativa, o número de unidades financiadas deve chegar a 100 mil neste ano. Só nos primeiros seis meses de 2006, o volume de operações contratadas pelos agentes que integram o sistema alcançou R$ 4,143 bilhões, superando em 103,6% a cifra de operações do mesmo período de 2005. O total de unidades financiadas atingiu 50,832 mil, contra 25,123 mil do primeiro semestre de 2005. No período de 12 meses já foram financiadas mais de 86 mil unidades com recursos das contas de poupança De acordo com o presidente da Abecip, Décio Tenerello, a previsão inicial da entidade era de que as operações de financiamento com recursos da poupança ficassem entre R$ 6,7 bilhões e R$ 7,2 bilhões neste ano, com 75 mil unidades financiadas. Em 2005, as transações do tipo somaram R$ 4,8 bilhões, com incremento de 40% sobre 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.