Fique atento à gestão do seu fundo em momentos de volatilidade

É quando o mercado está mais volátil, como tem acontecido no último mês, que os fundos de investimento estão mais sujeitos a um problema causado por má gestão. Por isso, a atenção do investidor deve aumentar nessa época. A Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) enviou cartas cobrando explicações de cerca de 80 fundos de investimento que deixaram de divulgar a atualização diária de cotas ou registraram perdas consideradas incompatíveis com a política de gestão das carteiras durante a turbulência nos mercados no mês passado. De acordo com o vice-presidente da Associação, Marcelo Giufrida, o procedimento faz parte de um acompanhamento sistemático realizado sempre que o mercado passa por episódios de grande volatilidade. A partir de um mapeamento das carteiras que apresentaram oscilação acima do padrão e daquelas que deixaram de divulgar a cota diária, foram notificados os responsáveis pelos fundos de instituições que fazem parte do código de auto-regulação da Anbid. "Como foi enviada uma carta para cada fundo, é possível que um gestor tenha recebido mais de uma", explicou. O prazo para o envio de respostas já está encerrado e, neste momento, a área técnica da entidade analisa os esclarecimentos dos gestores. Entre as punições previstas às instituições que cometem infrações ao código da associação estão: advertência; multa no valor de até 100 vezes a maior mensalidade recebida pela Anbid; proibição temporária do uso do selo do código de auto-regulação; e até o desligamento dos quadros da Anbid. "Os gestores ainda terão direito a ampla defesa", esclareceu Giufrida, lembrando que qualquer penalidade será aplicada somente após a abertura de um processo específico no conselho de auto-regulação. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), responsável pela regulamentação da indústria de fundos de investimento, não revela se realiza algum procedimento semelhante ao da Anbid. Por meio da assessoria de imprensa, a autarquia informa que acompanha rotineiramente o setor e qualquer informação sobre eventuais investigações será divulgado oportunamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.