Fitch reitera rating AAA da França, mas alerta sobre dívida pública

Há poucos detalhes sobre como a França pretende reduzir o déficit orçamentário para um volume equivalente a até 3% do PIB, conforme regras da zona do euro

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

30 de março de 2010 | 12h47

A agência de classificação de risco Fitch Ratings reiterou a avaliação AAA da França, afirmando que o país emergiu positivamente da crise, sendo necessário apenas um suporte "modesto" do governo ao setor financeiro.

 

A agência, no entanto, alertou que a recuperação francesa no curto prazo é frágil, levando em consideração "o elevado desemprego e a retirada de algumas medidas de estímulo". O diretor-gerente do Grupo Soberano da Fitch, Brian Coulton, alertou também que o nível da dívida pública da França "estava elevado na véspera da crise e está crescendo substancialmente".

 

A França saiu da recessão no segundo trimestre do ano passado, quando registrou uma contração de 2% em seu Produto Interno Bruto (PIB) - queda menos acentuada do que a registrada no PIB total da zona do euro, de 4%, durante o período. A economia francesa também teve uma recuperação mais rápida do que a de outros países europeus.

 

Segundo a Fitch, a França foi beneficiada por medidas flexíveis de financiamento que ajudaram a manter o custo dos empréstimos em um nível baixo e pelo fato de o crédito no país não ter sido tão afetado quanto em seus pares europeus durante a turbulência nos mercados financeiros.

 

De acordo com a Fitch, há poucos detalhes até o momento sobre como a França pretende reduzir o déficit orçamentário para um volume equivalente a até 3% do PIB, conforme as regras da zona do euro. A agência acrescentou que as taxas de dívida pública do país estão em um processo de deterioração desde o final da década de 1970. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Fitchrating

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.