Ford tem prejuízo de US$ 1,19 bi por reestruturação

A Ford Motor Co. registrou prejuízo líquido de US$ 1,19 bilhão no primeiro trimestre de 2006, ou US$ 0,64 por ação, em conseqüência das despesas com o processo de reestruturação e dos fracos resultados nas operações na América do Norte. No mesmo período do ano passado, a montadora obteve lucro de US$ 1,2 bilhão (US$ 0,60 por ação). O prejuízo representa o pior resultado da Ford desde o quarto trimestre de 2001, quando a companhia também apresentou grandes custos com ações de reestruturação. De acordo com a Ford, os resultados do primeiro trimestre deste ano incluem gastos de US$ 2,5 bilhões, antes de impostos, com custos associados ao plano de reestruturação, o qual deve resultar no corte de 30 mil empregos e o fechamento de 14 fábricas até 2012. Analistas consultados pela Thomson First Call esperavam que a Ford registrasse lucro de US$ 0,25 por ação. Excluindo itens especiais, a empresa teve ganho de US$ 458 milhões, ou US$ 0,24 por ação. Por volta das 13 horas, as ações da Ford recuavam 4% na bolsa de Nova York. As receitas da companhia recuaram 9% nos três primeiros meses deste ano, para US$ 41,1 bilhões. Nas operações na América do Norte, houve perda de US$ 457 milhões, comparado a um ganho de US$ 664 milhões no primeiro trimestre de 2005. As receitas na região caíram US$ 1,3 bilhão, para US$ 19,8 bilhões, enquanto a participação de mercado da empresa em seu país de origem continuou em declínio. "Enquanto não estamos satisfeitos com nosso desempenho, particularmente com a perda na América do Norte, nos encorajamos com o sucesso em nossas operações globais", disse o executivo-chefe Bill Ford Jr, em comunicado. "Nós dissemos que esperávamos restaurar a lucratividade da divisão automotiva na América do Norte até 2008, e nos mantemos o comprometidos em cumprir nossa promessa", acrescentou. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.