Forte alta do dólar na madrugada gera rumores de nova intervenção no iene

Moeda teve abrupta valorização ante o iene em poucos minutos; governo japonês não confirmou intervenção

Danielle Chaves, da Agência Estado,

24 de setembro de 2010 | 08h02

Especulações de que o governo do Japão realizou uma nova intervenção no câmbio nesta sexta-feira circularam no mercado depois de uma abrupta alta do dólar durante a madrugada. Em questão de minutos, o dólar subiu de cerca de 84,60 ienes para a máxima intraday de 85,40 ienes. Autoridades do governo, no entanto, não confirmaram a intervenção. Às 7h55 (de Brasília), a moeda japonesa recuperava parte da força, com o dólar operando quase estável a 84,37 ienes, de 84,34 ienes no fim da tarde de ontem.

"O movimento do preço foi muito específico e estranho", deixando as marcas de uma intervenção do governo, afirmou Minoru Shioiri, gerente de câmbio externo da Mitsubishi UFJ Morgan Stanley Securities. Mas Shioiri e outros participantes do mercado disseram que não encontraram evidências diretas de uma intervenção.

"Não há dúvidas de que os bancos japoneses estão comprando muitos dólares, portanto não está claro se isso (a queda do iene) foi relacionado a alguma ação do governo", disse um operador de um grande banco europeu que atua em Tóquio. "Eu diria que há 50% de chance de ter havido uma intervenção", afirmou.

O vice-ministro de Finanças do Japão, Fumihiko Igarashi, afirmou à Dow Jones que não tem conhecimento de uma intervenção no mercado de câmbio nem discutiu política cambial com o ministro de Finanças, Yoshihiko Noda. Quando o governo do Japão entrou no mercado, no último dia 15, fez questão de informar publicamente seu movimento.

As autoridades japonesas vêm afirmando que o país poderá continuar intervindo se isso for necessário para controlar o avanço do iene diante do dólar. Por isso, operadores estão atentos para tentar descobrir se o governo tem ou não uma faixa de oscilação preferida para a moeda do Japão. Em parte, a estratégia do governo é manter o mercado em dúvida sobre suas intenções, assim a incerteza vai deixar os operadores relutantes em apostar pesadamente em um iene mais forte.

Independentemente da possível intervenção de hoje, o governo do primeiro-ministro Naoto Kan tem deixado claro que continua profundamente preocupado com os danos que o iene forte provoca em uma economia movida por exportações. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.