Francesa Casino pede arbitragem internacional contra família Diniz

Varejista fez o pedido para resolver conflito com o grupo brasileiro sobre um pacto de acionistas que une as duas empresas no controle do Pão de Açúcar

Danielle Chaves, da Agência Estado,

31 de maio de 2011 | 08h41

A varejista francesa Casino solicitou arbitragem por meio da Câmara de Comércio Internacional para resolver conflito com o grupo da família Diniz sobre um pacto de acionistas que une as duas empresas no controle do Pão de Açúcar (Companhia Brasileira de Distribuição, ou CBD).

O movimento é um sinal claro de que as relações entre os parceiros de duas décadas azedaram depois que Abílio Diniz, presidente do Grupo Pão de Açúcar, conversou com outra varejista francesa, o Carrefour, para explorar oportunidades em um possível acordo.

O Casino afirmou em um documento entregue ao órgão regulador do mercado da França que pediu que a família Diniz respeitasse e cumprisse o pacto assinado em 27 de novembro de 2006 "com relação à joint venture Wilkes, que controla a CBD". A companhia não quis fazer maiores comentários sobre o assunto, assim como o Carrefour.

O Casino e a família Diniz controlam conjuntamente o Pão de Açúcar há anos e, sob o acordo de acionistas, a empresa francesa pode assumir o controle da companhia brasileira no próximo ano. Nas últimas semanas, Abílio Diniz tem negociado com o Carrefour sobre várias potenciais opções de união, incluindo uma troca de ações, segundo pessoas próximas à situação.

O conselho supervisor do Carrefour deverá se reunir hoje e os diretores poderão discutir as operações da empresa no Brasil em seguida à abordagem da família Diniz, de acordo com uma fonte. Uma união com o Pão de Açúcar pode fortalecer a posição do Carrefour no Brasil, enquanto a empresa enfrenta dificuldades na França. O Pão de Açúcar possui mais de 1.300 lojas, enquanto o Carrefour tem 500.

Mas o Carrefour também enfrenta problemas no Brasil. A companhia incorreu em encargos de 550 milhões de euros no ano passado relacionados a anos de má administração de seus hipermercados. Uma fusão das operações do Carrefour com o Pão de Açúcar também poderia provocar investigações antitruste, já que as duas companhias combinadas controlariam quase 30% do mercado, segundo analistas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.