"FT" aconselha investidores a ter plano de saída da AL

O jornal "Financial Times" alertou os investidores, em editorial, nesta sexta-feira, sobre os riscos políticos na América Latina e os aconselha a ter um plano de saída da região. O diário financeiro menciona declarações do presidente do Citibank, William Rhodes, que disse que os investidores podem estar subestimando os riscos provenientes de políticas fracas e crescimentos baixos na região. "Tamanha é a liquidez nos mercados financeiros internacionais que os bons tempos poderão durar por algum tempo", disse o FT. "Mas a confiança pode ser evaporar rapidamente. Os investidores deveriam se garantir com uma estratégia de saída bem planejada." O jornal observa que no Brasil - "cuja ampla expectativa de ascensão ao grau de investimento está no centro da ebulição do mercado financeiro" -, os investidores não se abalaram com a saída de Antonio Palocci do Ministério da Fazenda. "Mas a falta de disposição do governo em contemplar novas reformas fiscais, como por exemplo mudanças no seu oneroso sistema previdenciário, é preocupante." Diante da forte performance da região nos últimos dois anos, argumenta o FT, o otimismo não surpreende, "mas o mercado está prestando pouca atenção a tendências políticas preocupantes". "É verdade que governos de esquerda que chegaram ao poder nos últimos cinco anos têm promovido políticas fiscais e monetárias cautelosas e a inflação declinou na maioria dos países. Mas um populismo menos pró-mercado e mais virulento emerge em alguns países." O jornal cita os casos de Peru, Venezuela, Argentina e Bolívia. Alerta, ainda, que Brasil e México "podem não estar completamente imunes a esta onda populista, como resultado, em parte, dos contínuos níveis elevados de exclusão social e pobreza".

Agencia Estado,

08 Abril 2006 | 09h11

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.