Fundos da GWI caem mais de 9% e gestora restringe informações na CVM

No acumulado deste mês até segunda-feira, o Leverage FIA registra perda de 31% e o Pipes, de 28%, frente a uma queda de 6,91% do Ibovespa

Altamiro Silva Júnior, da Agência Estadoq,

19 de maio de 2010 | 09h41

Depois de acumular perdas de 31% apenas este mês, a gestora GWI Asset Management resolveu restringir informações de seus fundos na página da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O site da autarquia informa que, "por solicitação do administrador do fundo", a identificação sobre a composição da carteira dos ativos nos quais a GWI investe foi omitida ao público em geral. Segundoa-feira, os fundos da gestora caíram mais 9%.

Até o início da tarde de segunda-feira era possível ver a participação de cada papel nos fundos, as operações a termo - que consistem na compra ou venda de ações a um preço fixo para liquidação no futuro - realizadas e as corretoras que operavam com a gestora.

No pregão de ontem, o movimento de desmonte de posições dos fundos provocou nova onda des baixas em algumas ações. Às 16h23 da véspera, B2W ON registrava queda de 8,89% e Braskem PNA, de 3,24%. De acordo com fontes de mercado, desde a última quinta-feira a GWI tem corrido para liquidar antecipadamente operações a termo a fim de evitar prejuízos ainda maiores.

No pregão de segunda-feira, quando as ações da Braskem despencaram 7,98%, foram antecipadas R$ 43,9 milhões em operações a termo com os papéis da companhia. Na sexta-feira, dia em que as units da SulAmérica registraram queda de 5,29%, após caírem quase 8% na mínima, um total de R$ 27,9 milhões em operações a termo com os papéis foi antecipada no mercado.

Segundo operadores, esse movimento de queda vem sendo amplificado desde segunda-feira porque alguns investidores, prevendo o movimento da GWI, estão alugando ações para vendê-las no mercado, na expectativa de recomprá-las mais barato e lucrar com a diferença, forçando ainda mais a queda das ações.

O fundo GWI Leverage FIA, depois de perder 12,29% na sexta-feira, caiu mais 9,52% ontem. O fundo opera principalmente com B2W, Lojas Americanas e SulAmérica. Outro fundo da gestora, o GWI Pipes, que tem 18% do patrimônio aplicado em Braskem, perdeu 9,10% na segunda-feira.

Por conta da alavancagem, a variação negativa dos fundos da GWI é muito maior que a queda da bolsa. No acumulado deste mês até segunda-feira, o Leverage FIA registra perda de 31% e o Pipes, de 28%, frente a uma queda de 6,91% do Ibovespa.

Segundo o site Fortuna, especializado no mercado de fundos, as carteiras da GWI não registram saques nem aplicações nos últimos dias. Juntos, os fundos Leverage e Pipes reúnem patrimônio da ordem de R$ 130 milhões. Procurada pela Agência Estado, a GWI preferiu não comentar o movimento de venda de ações.

Tudo o que sabemos sobre:
fundosGWICVMFIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.