Fundos de investimentos perdem R$ 10,3 bilhões

A onda de nervosismo no mercado financeiro já causou a queda de R$ 10,3 bilhões na rentabilidade de alguns fundos de investimentos com operações vinculadas à renda variável. Segundo levantamento do site Fortuna, no período de 9 de maio a 12 de junho, os fundos de ações (FIAs), que têm patrimônio de R$ 21,3 bilhões, foram os campeões de prejuízos, com rentabilidade negativa de R$ 4,1 bilhões. Os fundos de privatização, com recursos do FGTS, carteira livre ou recursos próprios, ficaram em segundo lugar no ranking, com perdas de R$ 2,8 bilhões. Em seguida vieram os FIAs previdenciários, com queda na rentabilidade de R$ 1,4 bilhão. Os produtos classificados como multimercados, que têm vários tipos de ativos na carteira (renda fixa, renda variável, câmbio, etc.), perderam R$ 865 milhões. A carteira desses fundos é de R$ 96 bilhões. Segundo o consultor Marcelo D'Agosto, do site Fortuna, o prejuízo da indústria de fundos só não foi pior porque as carteiras de renda variável tiveram rentabilidade positiva de R$ 6,8 bilhões. Com isso, o prejuízo de toda indústria de fundos foi reduzido para R$ 3,5 bilhões. De acordo com dados da Associação Nacional dos Bancos de Investimentos (Anbid), a indústria de fundos registrou saída de capital de R$ 490 milhões em maio, resultado de aplicações no valor de R$ 73,3 bilhões e resgates de R$ 73,8 bilhões. "Não houve muita saída dos fundos, pois a estrutura tributária do setor tira a mobilidade do investidor", explica Marcelo D'Agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.