Fundos emergentes voltam a atrair fluxo positivo

Os fundos de ações dedicados a mercados emergentes registraram entradas líquidas de US$ 370 milhões na semana encerrada no último dia 11, a primeira de fluxo positivo neste tipo de ativo depois de seis semanas de saídas líquidas. Juntamente com outros indicadores, o fluxo sugere uma melhora no sentimento dos investidores, afirma em relatório o estrategista para renda várias da América Latina do Morgan Stanley, Vinicius Silva. Apesar da incerteza e da indecisão no mercado, as ações tiveram bom desempenho recentemente, beneficiando os mercados emergentes, acrescenta o analista. Ele afirma, no entanto, que os fluxos não devem se tornar um fator significativo para desempenho enquanto não for quebrado o padrão irregular e morno dos fundos dedicados. Até a semana passada, o índice MSCI de Mercados Emergentes acumulava alta de cerca de 12% em dólares desde janeiro e estava 10% abaixo de sua máxima em maio. A mudança nos setores líderes prossegue, segundo Silva, com telecomunicações e o segmento financeiro aparecendo como os dois com melhor desempenho nas últimas quatro semanas. Segundo dados da consultoria Emerging Portfolio Fund Research (EPFR), na semana encerrada no dia 11, entraram US$ 370 milhões no total nos ativos emergentes, mas os fundos da América Latina ainda tiveram leves saídas líquidas, de US$ 10 milhões. No acumulado do ano, os fundos emergentes registram entradas de US$ 15,6 bilhões, dos quais US$ 2,2 bilhões na América Latina. Os mercados emergentes da Ásia lideram as entradas no ano, com US$ 10,8 bilhões. Vinicius Silva lembra que o quarto trimestre do ano costuma historicamente apresentar fortes entradas de fluxo nos mercados emergentes. Entre 1995 e 2005, o fluxo para os fundos dedicados a mercados emergentes se concentraram no primeiro trimestre (47% do fluxo total) e no quarto trimestre (43% do total). O desempenho tende a seguir o mesmo padrão positivo. Entre 1995 e 2005, o MSCI Mercados Emergentes apresentou alta de 8% em dólares na média do quarto trimestre, tendo caído 5% no terceiro, e subido 3% e 2%, respectivamente no primeiro e segundo trimestres. O total de entradas este ano nos fundos dedicados a mercados emergentes (US$ 15,6 bilhões) representante 77% do total atraído em 2005, que somou US$ 20,3 bilhões. Em meados de maio, o fluxo representava 160% do fluxo total do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.