Furlan quer pacote de incentivo à biomassa

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) vai propor ao governo e ao setor empresarial a elaboração de um pacote de estímulo à geração de energia elétrica a partir da biomassa no dia 19 de outubro, durante o Fórum de Competitividade da Indústria de Bens de Capital. De acordo com o ministro Luiz Fernando Furlan, essa iniciativa poderia elevar a oferta de energia em 4.000 megawatts - um terço da potência da Hidrelétrica de Itaipu - sem gerar impacto ambiental.A Secretaria de Desenvolvimento da Produção do MDIC concluiu uma nota técnica sobre o tema. Mas a conclusão do pacote deverá envolver estudos mais profundos a serem realizados também pelos Ministérios de Minas e Energia, da Fazenda e do Meio Ambiente, na esfera governamental, e pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abiquim).A proposta inicial seria beneficiar com isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e com linhas de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a produção de caldeiras mais possantes de geração de energia, a partir de biomassa.Atualmente, apenas três empresas do País dedicam-se a esse nicho de mercado, que permite a conversão de matérias orgânicas em energia. Caldeiras menos possantes vêm sendo utilizadas principalmente pelas usinas de álcool, que se valem do bagaço da cana para a geração de energia elétrica. Algumas siderúrgicas igualmente geram eletricidade a partir de vapores.Segundo o Ministério de Minas e Energia, já são produzidos no Brasil 4.500 MW de energia elétrica a partir de biomassa. Isso significa que, se o pacote proposto por Furlan vier a ser implementado, a capacidade de geração de energia a partir dessa fonte seria duplicada.

Agencia Estado,

27 de setembro de 2006 | 09h00

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.