Fusões e aquisições crescem 55% em 2010, para R$ 184,8 bilhões

Na distribuição por setores, o de TI e Telecom foi responsável por 18% do valor negociado no ano passado, seguido por Agronegócio (13,2%), e Metalurgia e Siderurgia (12,6%) 

Chiara Quintão, da Agência Estado ,

17 de fevereiro de 2011 | 15h17

O volume de fusões, aquisições e reestruturações societárias cresceu 55% no ano passado, na comparação com 2009, para R$ 184,8 bilhões, segundo a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima). O valor é recorde, de acordo com a entidade, levando-se em conta a atual metodologia, utilizada desde 2006. Foram anunciadas 143 operações em 2010, o que representa expansão de 51% ante 2009.

No segundo semestre do ano passado, o volume de operações somou R$ 93,1 bilhões, com aumento de 56% em relação ao mesmo período de 2009. O número de operações cresceu 45%, para 68, nessa base de comparação semestral.

A Anbima destacou as aquisições de empresas brasileiras por estrangeiras. Foram 39 operações nesse formato, no total de R$ 56,9 bilhões.

Das operações registradas pela Anbima, 31% superaram R$ 1 bilhão. Três delas ultrapassaram R$ 10 bilhões - Portugal Telecom e Telefônica, TAM e Lan, e Shell e Cosan.

Na distribuição por setores, o de TI e Telecom foi responsável por 18% do valor negociado no ano passado, seguido por Agronegócio (13,2%), e Metalurgia e Siderurgia (12,6%). Em número de operações, Agronegócios e Energia puxam a fila, respondendo por 11,1% e 8,4%, respectivamente.

Tudo o que sabemos sobre:
Anbimafusõesaquisições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.