Futuros de petróleo operam em baixa

Os futuros de petróleo operam em baixa, após se aproximarem das máximas vistas no início de março, apesar de fatores que tendem a impulsionar os preços da commodity, como a dificuldade da Líbia de retomar suas exportações, as tensões na Ucrânia e a queda dos estoques de gasolina nos EUA.

Agencia Estado

22 de abril de 2014 | 07h53

Nas últimas sessões, as incertezas sobre a retomada da oferta da Líbia têm influenciado os negócios com petróleo, enquanto a crise na Ucrânia, que não dá sinais de diminuir apesar de um acordo anunciado por Moscou, Kiev, EUA e União Europeia na semana passada, é um fator de sustentação para a commodity.

Mais tarde, o American Petroleum Institute (API) divulga seus últimos números sobre os estoques dos EUA. Amanhã, saem os dados oficiais de estoques, publicados pelo Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano.

Às 7h43 (de Brasília), o brent para junho caía 0,49%, a US$ 109,41 por barril, na plataforma eletrônica ICE, enquanto na Nymex, o petróleo para maio recuava 0,30%, a US$ 104,06 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.