Globopar e DirecTV concluem associação

Os grupos Globopar e DirecTV anunciaram hoje a conclusão das associações dos negócios de comunicação por satélite operados pela Sky Brasil e DirecTV Brasil. Segundo nota da Globopar, o negócio foi analisado "pelos devidos órgãos reguladores".No processo, conforme a nota, DirecTV Brasil e Sky Brasil associaram-se e o DirecTV Group adquiriu as ações da News Corporation e Liberty Media na Sky Brasil. Os grupos não informaram o valor da operação. Ainda segundo a nota, com a associação o DirecTV Group agora possui aproximadamente 74% da Sky Brasil, e a Globo aproximadamente 26%.Juntas, DirecTV Brasil e Sky Brasil têm aproximadamente 1,3 milhão de assinantes, representando um terço de todos os assinantes de TV paga no Brasil e praticamente a totalidade dos assinantes via satélite. O atuais assinantes da DirecTV Brasil migrarão para a plataforma da Sky Brasil.A operação conclui uma série de transações iniciadas em outubro de 2004 entre News Corporation, Globo, Grupo Televisa S.A (Televisa) e Liberty Media Internacional, para unir as duas plataformas de DTH (Direct to Home) da DirecTV Latin America e Sky Latin America em uma única plataforma em cada um dos principais territórios atendidos na região. Como resultado, o DirecTV Group e sua afiliada Sky México (na qual o DirecTV Group tem 41% de participação acionária) atendem agora aproximadamente 4 milhões de assinantes na América Latina."Estamos felizes em finalizar essa última etapa da associação da Sky Brasil e DirecTV Brasil", disse Bruce Churchill, presidente da DirecTV Latin América, na nota divulgada à imprensa. "Agora podemos focar todos os nossos esforços em seguir adiante, aumentando o negócio e proporcionando aos nossos 4 milhões de assinantes DirecTV e Sky a melhor experiência televisiva possível", complementar.Na avaliação de Jorge Nóbrega, diretor de gestão corporativa das Organizações Globo, a operação "é mais uma etapa cumprida, consistente com a estratégia da Globo de se voltar cada vez mais para a produção e programação de conteúdo brasileiro de qualidade, e de construir relações positivas com nosso público", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.