GM sobe forte, em dia de queda nas Bolsas de NY

As ações da General Motors sobem 2,43% e respondem por uma das maiores altas esta tarde da cesta do índice Dow Jones, em Nova York, após o conselho de diretores da empresa ter anunciado apoio ao início das negociações com a Renault e Nissan sobre a possibilidade de formarem uma aliança. A idéia foi proposta hoje pelo bilionário Kirk Kerkorian, principal acionista da GM. Os ganhos da GM mitigavam o efeito da queda de 7,7% das ações da 3M. A fabricante do Post-it informou que os custos elevados de seu negócio start-up de filmes ópticos e as vendas fracas do produto, em razão da demanda decepcionante por televisores de LCD, vão limitar seus resultados no segundo trimestre. O JP Morgan defendeu sua elevação da recomendação para o ativo para "overweight" (com performance acima da média do mercado), que ocorreu poucas horas antes da divulgação do alerta da 3M. O banco de investimentos argumentou que as questões por trás dos prognósticos da 3M eram extraordinárias e devem ficar confinadas a ter impacto apenas no segundo trimestre. O Dow Jones, por sua vez, cedia 0,75%, enquanto o Nasdaq recolhia 0,24%, digerindo o relatório que mostrou criação abaixo da esperada de postos de trabalho na economia norte-americana e aumento da remuneração acima do esperado, o que sugere pressões inflacionárias oriundas da mão-de-obra. O petróleo comportou-se de maneira instável pela manhã, quando chegou a bater o recorde intraday (durante o dia) de US$ 75,78 por barril no sistema eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex). Na sessão regular, a máxima tocada pelo contrato foi US$ 75,55. Instantes atrás, o contrato cedia 0,79%, com realizações de lucro e era cotado a US$ 74,50. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.