Gol: compra da Varig está livre de dívidas antigas

O presidente da Gol, Constantino Oliveira Júnior, afirmou hoje, em entrevista coletiva à imprensa, que a compra da nova Varig está livre de passivos da antiga Varig, que está em processo de recuperação judicial. Ele explicou que o leilão judicial já previa que a nova empresa não carregaria os passivos, fato que contou também com a aprovação dos credores da antiga Varig. Constantino Jr. reiterou que a Gol irá cumprir todos os compromissos assumidos pela nova Varig, como a emissão de R$ 100 milhões em debêntures.O executivo disse que o impacto da aquisição sobre o balanço da Gol só poderá ser avaliado depois que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovar o negócio, o que deve ocorrer no segundo trimestre. "Vamos trazer a Varig rapidamente aos patamares de eficiência da Gol, neutralizando efeitos negativos, de maneira que ela possa contribuir com a melhora dos nossos resultados." AeronavesO atual plano de crescimento de frota da Gol não sofrerá mudanças por conta da aquisição da nova Varig, segundo informou Constantino Jr. Ele afirmou ainda que a empresa também não irá transferir parte dos pedidos já feitos à Boeing para atender às necessidades da Varig.AçõesConstantino Jr. esclareceu que a companhia emitirá novas ações para efetuar o pagamento de 6,1 milhões de papéis preferenciais, estabelecido no acordo de compra da Varig. Segundo ele, a diluição para os atuais acionistas será de cerca de 3%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.