Goldman Sachs é rebaixado por S&P e BofA

Ações têm queda de 7,64% na Bolsa de Nova York, aos US$ 147,10, no menor nível desde janeiro

Danielle Chaves, da Agência Estado,

30 de abril de 2010 | 11h36

As ações do Goldman Sachs operam em queda de 7,64% na Bolsa de Nova York, aos US$ 147,10, no menor nível desde janeiro, depois que os papéis foram rebaixados pela Standard & Poor's e pelo Bank of America Merrill Lynch (BofA). A S&P cortou os ratings da ação do Goldman de "manter" para "vender" e o BofA reduziu os papéis de "comprar" para "neutro". Os papéis tiveram o preço-alvo rebaixado pela S&P para US$ 140, de US$ 180.

"Embora tradicionalmente seja difícil de provar, nós acreditamos que o risco de uma acusação formal de fraude, além da acusação feita pela SEC e da pendente reforma da legislação para o setor financeiro, prejudica ainda mais a perspectiva do Goldman", escreveu a S&P em nota.

Ontem fontes citadas pelo Wall Street Journal afirmaram que promotores federais norte-americanos estão conduzindo uma investigação criminal para determinar se o Goldman ou seus funcionários cometeram fraude com produtos lastreados em hipotecas.

A investigação, conduzida pelo escritório da promotoria federal dos EUA em Manhattan deriva da denúncia apresentada pela Securities and Exchange Commission (SEC, a CVM norte-americana) contra o Goldman, segundo as fontes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Goldman SachsS%PBofa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.