Goodyear fecha fábrica no Texas e elimina 1,1 mil empregos

A Goodyear Tire & Rubber Co. anunciou que vai fechar suas instalações em Tyler, no Texas, em meio a uma greve organizada pelo sindicato nacional dos metalúrgicos (United Steelworkers, USW), que já dura três semanas. A unidade em Tyler é uma das duas fábricas do grupo que precisavam concluir as negociações com o sindicato. A ordem de encerrar as atividades foi um dos fatores que levaram à greve, iniciada em 5 de outubro pelo USW.O sindicato tem dito que não aceita a decisão. A greve parou 16 fábricas da Goodyear nos EUA e Canadá, que reunidas empregam cerca de 15 mil pessoas. O fechamento vai eliminar 1,1 mil empregos e gerar uma economia anual de US$ 50 milhões (depois de impostos), de acordo com a Goodyear. O movimento também vai resultar em uma despesa com reestruturação de US$ 155 milhões a US$ 165 milhões.O porta-voz da Goodyear, Ed Markey, disse que o fechamento se deve ao fato da companhia ter deixado alguns segmentos de pneus no início do ano. Embora a fábrica seja sindicalizada, Markey informou que o contrato com o USW expirou. Não há negociações formais previstas, mas Markey afirmou que a Goodyear continua "dialogando" com o sindicato. No entanto, uma prolongada batalha é possível. Em 13 de outubro, a companhia anunciou ter assumido empréstimo de US$ 975 milhões - reservando um "caixa adicional para o caso de uma greve prolongada", afirmou o diretor financeiro, Richard Kramer, em comunicado. A Goodyear, que enfrenta alta no custo da matéria-prima, concorrência estrangeira e a produção menor das montadoras, tem afirmado que precisa de um acordo trabalhista mais competitivo. O sindicato, por sua vez, alega ter feito concessões em 2003, inclusive concordando com o fechamento de fábricas.Analistas e investidores afirmam que a Goodyear precisa conseguir um novo contrato que permita reduzir capacidade. No entanto, uma paralisação mais prolongada pode resultar em prejuízo maior. A Goodyear tem usado a produção das fábricas não sindicalizadas, o estoque existente e pneus produzidos em suas instalações no exterior para atender a demanda. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.