Governador de SP suspende oferta de ações da Nossa Caixa

O governador de São Paulo, Claudio Lembo, decidiu, em conjunto com a Secretaria de Planejamento e Fazenda do Estado, suspender a oferta de 18,847 milhões de ações da Nossa Caixa, que representariam cerca de 20% das ações da instituição. Segundo ele, em reunião realizada na segunda-feira à noite, foi decidido que a venda não será mais necessária para cobrir o déficit de R$ 1,2 bilhão no orçamento do Estado. Um ajuste nas contas teria diminuído o rombo para R$ 560 milhões e a previsão é fechar o ano sem déficit. A decisão de vender as ações ficará para o próximo governador, José Serra, eleito no último domingo. "Nós não iremos vender as ações da Nossa Caixa. Vamos equilibrar o Orçamento de São Paulo dentro das formas técnicas e possibilidades orçamentárias. Vamos preservar os 20% que seriam vendidos e que estavam previstos no orçamento", afirmou o governador. "Eu creio que não é o momento. É fim de governo e temos que deixar para o governador José Serra as hipóteses de trabalhos futuros. Não quero dilapidar o patrimônio de São Paulo neste momento. Seria talvez impensável. Portanto, não haverá a venda das ações da Nossa Caixa." Lembo disse que a decisão será informada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e à Bovespa cinco dias antes da conclusão da oferta, marcada para 17 de outubro. Serra não opinou sobre o assunto e disse que a decisão era de Lembo. Serra e Lembo almoçaram ontem no Palácio dos Bandeirantes para conversar sobre o governo de transição. Após o encontro, Lembro concedeu entrevista à imprensa. O período de reserva da oferta de ações da Nossa Caixa estava previsto para começar hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.